Centros, Núcleos e Laboratórios

Os antropólogos do PPGAS, entre docentes e discentes, participam ativamente de centros, núcleos e laboratórios de pesquisa vinculados exclusivamente ao IFCH (CPEI, CERES, CEMI e LA’GRIMA) ou interinstitucionais (CESOP, PAGU e NEPO), os quais constituem espaços privilegiados de discussão, debate e realização de pesquisa para os integrantes do PPGAS.
 
CMU, órgão vinculado à Reitoria da Unicamp, tem como objetivo promover e integrar estudos e pesquisas interdisciplinares voltados à reconstrução da memória histórica e sócio-cultural de Campinas e região. Para a realização desse trabalho, o Centro conta com acervos documentais, fotográficos e bibliográficos, cuidando, ainda, de sua restauração, organização, conservação e divulgação.
 
CPEI formou-se em 1995 por iniciativa de pesquisadores vinculados à área de “Sociedades Indígenas: Etnologia, História e Política” do Doutorado em Ciências Sociais (IFCH – Unicamp). Com perfil interdisciplinar, suas atividades contemplam a participação de pesquisadores de outros institutos e faculdades da Unicamp que estudam, sob diferentes vertentes, a temática indígena: etnologia, história, demografia, linguística, educação, educação física, medicina, entre outras. A produção científica realizada no CPEI é vasta e de circulação internacional, com várias dissertações e teses premiadas. Além de trabalhos inovadores consolidados, os pesquisadores vinculados ao CPEI têm se destacado pela participação constante nos debates e reflexões em torno dos estudos de etnologia e de história indígena no Brasil.
 
Fundado em 1996 tendo como preocupação fundamental o estudo comparativo de migrações internacionais, o CEMI, contando com a participação de docentes e discentes do PPGAS, explora na atualidade as seguintes linhas de investigação: Nação e Diáspora; Fronteiras e Fluxos Internacionais; Mobilidades e Redes Transoceânicas; Espaço e Poder; Modernidade, Direito e Interação Democrática.            
 
CERES foi criado em 1996 e, desde 2006, é responsável pela publicação da revista Ruris – Revista do Centro de Estudos Rurais. Reunindo pesquisas sobre as transformações do mundo rural, o CERES conta com uma notável participação de docentes e discentes do PPGAS. Em torno das distintas pesquisas, o CERES mobiliza grupos de estudo e discussão, bem como um laboratório de cartografia social.
 
CESOP é uma iniciativa interdisciplinar combinada entre os âmbitos acadêmico-científico e empresarial na área da pesquisa de Opinião Pública, Comportamento Político e Social e Metodologia de Pesquisa. O Centro está estruturado sobre uma composição tripartite interuniversitária e empresarial (UNICAMP, Universidades e Centros Científicos e Empresas de pesquisa) e tem como objetos a recuperação, organização e disponibilização para o pesquisador dos surveys realizados por empresas e instituições científicas nas áreas predominantes de opinião sobre política, sociedade, temas culturais, comportamento geral, além de dados socioeconômicos em educação. Em 2005, o Banco de Dados Nacionais de Opinião encontra-se composto por mais de 2300 pesquisas.
CESOP publica a Revista Opinião Pública desde 1993, na qual apresenta artigos de pesquisadores nacionais e estrangeiros e divulga dados dos Bancos de Dados nacionais e internacionais conveniados. Os projetos de pesquisa desenvolvidos por seus pesquisadores vinculam-se às quatro linhas de investigação estabelecidas: Análise do Comportamento Político e Social; Análise de Dados Socioeconômicos em Educação; Organização e Divulgação de Dados de Pesquisas por Amostragem; Estudos sobre Mídia e Comportamento Político. Se é predominante a presença de sociólogos e cientistas políticos, do CESOP participam e participaram docentes e discentes do PPGAS.
 
O LA’GRIMA é um laboratório antropológico dedicado à experimentação conceitual e metodológica, cujo objetivo central é fomentar estudos e reflexões acerca das grafias e das imagens em pesquisa no campo antropológico, abarcando proposições teóricas e etnográficas. O Laboratório abriga pesquisadores interessados nas questões relativas ao desenvolvimento de habilidades de pesquisa e suas expressões gráficas – este último termo compreendido em sentido lato – e reúne, a partir deles, pesquisas em desenvolvimento, em contextos distintos, com materiais diversos (escritos, orais, imagéticos, iconográficos), combinados ou não, e sobre distintos objetos, condição para cumprir a formação, reflexão e experimentação "metodológica" tomada como meio e como modo de conhecimento.
 
O Laboratório de Antropologia da Religião foi fruto da iniciativa de pesquisadores, da Universidade Estadual de Campinas, que tem a religião como ponto comum de interesse. Caracterizamo-nos como um Laboratório, por nossa proposta de abordagem experimental, isto é, a realização de atividades investigativas, em que as etnografias sejam imprescindíveis na condução das abordagens teóricas. As reuniões, agora quinzenais, acontecem desde 2009, com o objetivo de um enfoque antropológico da religião, pensando o conceito através dodiálogo com temáticas distintas como corpo, devoção, materialidade, mística, ciência, política, economia, entre outros, valorizando o intercâmbio com outras áreas de conhecimento.
 
NEPO, fundado em 1982, reúne profissionais de distintas especialidades com formação em Demografia, com ênfase nas Ciências Sociais. O diálogo com antropólogos caracteriza o NEPO desde sua fundação, sendo que alguns demógrafos já fizeram parte dos quadros do PPGAS, assim como demógrafos com formação antropológica conduzem pesquisas em áreas cruciais como demografia indígena, migrações ou saúde reprodutiva da mulher.
Os objetivos principais do Núcleo de Estudos de População são: produzir e divulgar conhecimento relevante nas áreas de Estudos de População e Demografia a partir de uma perspectiva interdisciplinar; implementar e desenvolver pesquisas nas áreas temáticas de importância em População, cujos resultados possam servir de forma direta e indireta como subsídios à atuação de órgãos públicos, seja na esfera federal, estadual ou municipal, e de movimentos sociais; colaborar com outras unidades da UNICAMP e/ou de outras instituições de ensino e pesquisa no Brasil e no exterior; estabelecer intercâmbio entre a comunidade científica e a sociedade, através da participação em seminários, palestras, conferências e prestação de serviços; formar e capacitar quadros para a pesquisa, no âmbito da investigação interdisciplinar e da colaboração no ensino da Demografia.
 
Voltado para a produção e disseminação do conhecimento em torno da problemática de gênero, o PAGU, desde sua fundação, interage intensamente com o PPGAS. As atividades de pesquisa congregam especialistas que desenvolvem estudos no âmbito de diferentes tradições disciplinares, contemplando temas variados, abordados a partir de diversas perspectivas teóricas. Destacamos as seguintes linhas de pesquisa: Sexualidade; História das Ciências; Curso da vida – Educação; Distribuição de Justiça; Mídia; Teorias Feministas e Perspectivas Disciplinares; Demografia da Família; Difusão de Conhecimentos Associados à Problemática do Gênero. O núcleo é responsável pela publicação dos já consolidados Cadernos PAGU – Revista de Estudos de Gênero e a disseminação de conhecimento é viabilizada através de conferências seminários, debates e publicações Periódicas. O Núcleo conta com grupos permanentes de discussão de pesquisa e um acervo bibliográfico especializado aberto à comunidade