Linhas de Pesquisa

Linhas de pesquisa

Cobrindo um leque amplo de objetos e campos de investigação, existem 9 linhas de ensino e pesquisa no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. As linhas refletem a diversidade temática das pesquisas desenvolvidas por docentes e discentes, e a participação de pesquisadores em mais de uma linha é um reflexo dos diálogos entre as mesmas estimulado pelo PPGAS. São elas:

  • Cultura e Poder
  • Diferenças e Identidades
  • Envelhecimento e Relações entre Gerações
  • Etnologia
  • Natureza, Cultura e Tecnologia
  • Religiões no Mundo Contemporâneo
  • Sexualidade, Gênero e Corpo
  • Territorialidades e Processos Sociais
  • Trajetórias e Etnografia do Conhecimento
Cultura e Poder

Esta linha de pesquisa focaliza as reconfigurações da cultura e da política no mundo contemporâneo, no contexto de debates teóricos sobre as articulações existentes entre cultura e poder, seja no âmbito das problemáticas atuais sobre colonialismo e pós-colonialismo, formação de nação e de diásporas ou políticas de cultura, seja da perspectiva das experiências urbanas contemporâneas. Inclui estudos comparativos transnacionais entre Brasil, Portugal e Estados Unidos, bem como a antropologia da África Austral, Caribe e Europa Centro-oriental.

Diferenças e Identidades

Esta linha de pesquisa aglutina investigações empíricas e reflexões teóricas sobre as relações, lugares e sentidos em que se produzem diferenças e identidades; sobre as diferenças consideradas relevantes; sobre a desigualdade e seus efeitos sócio-culturais, e sobre os processos políticos e culturais da produção de semelhanças e diferenças identitárias.

Envelhecimento e Relações entre Gerações

A tradição antropológica no tratamento das categorias, grupos e classes de idade é combinada com o estudo das mudanças no modo pelo qual a vida é periodizada e a experiência etária é vivida por grupos sociais distintos nos segmentos mais jovens e mais velhos da população. Entendendo as idades como formas de classificação e hierarquização do mundo, o estudo das gerações está centrado na análise das relações de poder e dos espaços abertos para práticas sociais específicas, particularmente, no âmbito do que tem sido considerado como o reino da intimidade, do privado e da família e no que diz respeito à produção no campo científico, à esfera da justiça e às políticas públicas que pressupõem a solidariedade ou visam a coibir a violência entre gerações.

Etnologia

A área de etnologia abrange basicamente as terras baixas da América do Sul, embora haja espaço para pesquisadores trabalhando em outras áreas do mundo. Os interesses dos etnólogos vinculados à área incluem a análise de discurso, cosmologia e religião, estética, mitologia e ritual, gênero, parentesco e organização social, história indígena e do indigenismo, as associações e o movimento indígena, questões territoriais, políticas e jurídicas, educação, urbanização e desenvolvimento.

Natureza, Cultura e Tecnologia

Esta linha de pesquisa trata com novas abordagens o tema antropológico clássico da relação entre natureza e cultura, tão importante no passado da disciplina. A recusa a tratar essa relação como uma oposição tem sido parte essencial de recentes estudos que tratam de temas tão diversos como o lugar de animais e pessoas em ontologias e economias indígenas e camponesas, a ética dos direitos animais e os direitos intelectuais sobre conhecimentos tradicionais. O debate que envolve esses estudos tem sido afetado ainda pelo reconhecimento de que a biotecnologia, as tecnologias reprodutivas e outros fenômenos técnicos têm complicado mais ainda a clássica oposição entre natureza e cultura no pensamento antropológico.

Religiões no Mundo Contemporâneo

Esta linha abrange o estudo das relações entre o Homem e o Sagrado nas suas mais diversas formas, desde as tradições indígenas até as religiões mundiais. O seu enfoque é tanto no conteúdo dessas formas - os seus mitos, ritos, e crenças quanto na prática os processos e contextos históricos em que elas se inserem.

Sexualidade, Gênero e Corpo

Esta área contempla estudos que articulam a problemática de gênero às expressões, experiências e práticas sociais, culturais e políticas em torno do corpo e da sexualidade. O objetivo geral dela é o de fornecer instrumentos para o refinamento teórico e metodológico a partir de investigações que, tomando variadas manifestações relativas ao corpo e à sexualidade, destacam as conexões entre gênero e outras categorias de diferenciação, tais como idade, raça, etnia e classe social. As linhas de pesquisa são delimitadas em meio às seguintes temáticas e campos da vida social: família, conjugalidade e parentalidade; curso da vida e gerações; erotismo, escolhas e identidades sexuais; usos, técnicas e tecnologias corporais; produção cultural e usos da imagem.

Territorialidades e Processos Sociais

Esta linha de pesquisa está voltada para o estudo de processos sociais e representações que envolvem diferentes agentes e instituições relacionadas à constituição de territórios. Ocupa-se de direitos sobre territórios; da problemática étnica; de trajetórias e construções identitárias; de disputas e conflitos territoriais e da gestão de recursos naturais.

Trajetórias e Etnografia do Conhecimento

A linha de pesquisa Trajetorias e Etnografia do Conhecimento abriga interesses no estudo de sistemas de conhecimento contemporâneos ou históricos, científicos ou não. Abre-se ainda a interesses em etnografia de instituições, em biografia e trajetórias de pessoas e bens culturais, em epistemologia da (e na) antropologia e nos desafios postos pela interseção da antropologia com outros campos de conhecimento