Próximas Defesas

Para agendar a Defesa de Tese:   A Defesa de Tese deve ser agendada no sistema SIGA (DAC/UNICAMP), através de uma série de procedimentos que podem ser observados no Manual de Defesa de Dissertação/Tese - clique aqui.    

 

Trabalho, precarização e saúde: o processo de adoecimentos na Construção Civil de Manaus (2005-2015).
Aluno(a): Erika Luciene Almeida Soares
Programa: Sociologia
Data: 13/12/2022 - 14:00
Local: Sala de Defesa de Teses I
Membros da Banca:
  • Prof. Dr. Sávio Machado Cavalcante (Presidente) (Orientador) - IFCH/ UNICAMP
  • Profa. Dra. Bárbara Geraldo de Castro - IFCH/ UNICAMP
  • Profa. Dra. Mariana Shinohara Roncato - Universidade Estadual de Campinas
  • Profa. Dra. Lucieneida Dováo Praun - Universidade Federal do Acre
  • Profa. Dra. Maria Aparecida da Cruz Bridi - Universidade Federal do Paraná
Descrição da Defesa:

A presente pesquisa analisa a relação entre trabalho e saúde nos marcos da reestruturação do capital, de modo a enfatizar o trabalho, enquanto um processo de atividade humana e, portanto, social, na formulação de explicações acerca das suas consequências para a vida e a saúde do trabalhador. Para isso, a partir de uma perspectiva metodológica qualitativa, adentramos à realidade das precariedades laborais vivenciadas por trabalhadores/as do setor da construção civil, em Manaus (AM), entre os anos de 2005 e 2015, e seus efeitos no processo de adoecimentos e mortes por conta do trabalho nos canteiros de obras, assim como identificamos algumas das experiências de lutas e resistências, coletivas e individuais, pelo direito de não adoecer ou morrer em virtude do trabalho.

A ATUAÇÃO DO INSTITUTO UNIBANCO NO ENSINO MÉDIO BRASILEIRO E A FORMULAÇÃO EM REDE DE NOVOS CONSENSOS SOBRE EDUCAÇÃO
Aluno(a): Mileide Cristina de Moura Melo
Programa: Sociologia
Data: 14/12/2022 - 14:00
Local: Sala de Defesa de Teses I
Membros da Banca:
  • Profa. Dra. Mariana Miggiolaro Chaguri (Presidente) (Orientador) - IFCH/ UNICAMP
  • Profa. Dra. Hivy Damasio Araújo Mello - Universidade Estadual de Campinas
  • Profa. Dra. Erika Moreira Martins - Universidade de Coimbra
Descrição da Defesa:

A presente pesquisa analisa os diagnósticos e a atuação do Instituto Unibanco no Ensino Médio público brasileiro, assumindo como hipótese que ambos são formulados no interior de uma rede de intercâmbio de funcionários, conhecimentos, técnicas e serviços voltados à transformação das políticas públicas educacionais no Brasil por meio da articulação entre Estado, mercado e “terceiro setor”. Para tanto, a pesquisa tem como objetivos investigar 1) o escopo e os objetivos das parcerias estabelecidas entre o Instituto e o setor público, e 2) o funcionamento da rede supracitada, observando, sobretudo, o modo como os diagnósticos sobre os problemas da educação média são constituídos em seu interior, e em que medida são tributários de consensos, visões de mundo e preceitos que, formulados fora do campo educacional, nele impactam de modo substantivo. Para alcançar esses objetivos, foi analisado o processo de concepção e elaboração do Programa Jovem de Futuro e as estratégias mobilizadas pelo Instituto para institucionalizá-lo através do Ministério da Educação, especialmente a partir da parceria com o Programa Ensino Médio Inovador em 2012. Também foi realizada uma pesquisa de campo nos eventos promovidos pelo Instituto e em conjunto com ele, entrevistas com seus antigos e atuais funcionários, e uma análise documental dos relatórios anuais e materiais em texto e vídeo produzidos pelo Instituto ou financiados por ele referentes ao tema Ensino Médio. Os resultados foram analisados a partir de uma bibliografia que intersecciona temas como políticas públicas educacionais, redes no “terceiro setor”, parcerias público-privadas, “Agenda Global de Reforma Educacional” e “Indústria Global da Educação”. Com esta pesquisa, esperamos compreender com maior profundidade como se articulam as instituições vinculadas ao setor privado, bem como dimensionar sua capacidade de influenciar, propor e implementar políticas para a educação pública do país.

LITERATURA DE COMBATE: SUELI CARNEIRO, ATIVISMO INTELECTUAL E ENEGRECIMENTO DO FEMINISMO NO BRASIL
Aluno(a): Milene Marques de Matos
Programa: Sociologia
Data: 16/12/2022 - 14:00
Local: Sala de Defesa de Teses I
Membros da Banca:
  • Prof. Dr. Mario Augusto Medeiros da Silva (Presidente) (Orientador) - IFCH/ UNICAMP
  • Profa. Dra. Bárbara Geraldo de Castro - IFCH/ UNICAMP
  • Profa. Dra. Silvana de Souza Nascimento - Universidade de São Paulo
Descrição da Defesa:

Essa pesquisa tem como proposta analisar parte da trajetória intelectual e ativista de Sueli Carneiro, com o intuito de compreender as dinâmicas e transformações sociais ocorridas durante as décadas de 1970-1980, que possibilitaram às mulheres negras, inserir suas ideias e demandas, de forma mais incisiva, nos espaços de produção de conhecimento e na política institucionalizada. Nesse sentido, o desafio foi construir um estudo que não fosse somente descritivo ou apenas uma biografia, mas também uma reflexão que permitisse colocar a trajetória dessa intelectual em perspectiva sociológica, com o intuito de refletir sobre processos sociais mais amplos.

Para apresentar esse caminho, buscamos relacionar parte da trajetória intelectual e ativista de Sueli Carneiro, com alguns processos históricos nos quais sua presença foi identificada, como por exemplo: na expansão de uma nova forma de pensar as relações sociais baseadas nas diferenças de raça e gênero no Brasil e na participação nos primeiros órgãos governamentais destinados a elaborar diagnósticos e políticas públicas para as mulheres brasileiras. A partir desse traçado, nosso objetivo é demonstrar qual caminho Sueli Carneiro percorreu para elaborar seu ativismo intelectual, nomeado por ela como Literatura de Combate, e buscar compreender como essa ferramenta de batalha contribuiu para enegrecer o feminismo brasileiro, especialmente a parcela deste movimento que se aproximou do Estado, durante o processo de redemocratização do país na década de 1980.