Bolsas de Estudo

O Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais do IFCH/UNICAMP recebe, anualmente, cotas de bolsas de estudos para seus alunos de Doutorado, financiadas pela CAPES e pelo CNPq. Estas bolsas são atribuídas de acordo com a ordem de classificação dos alunos no processo de seleção de ingresso no Curso, segundo critérios estabelecidos pelo Conselho de Doutorado do Curso, incluindo mecanismos de priorizar alunos optantes pelo sistema de cotas. Atualmente o curso conta com um total de 54 Bolsas, sendo 26da CAPES e 28 do CNPq. O número de bolsas oferecidas a cada ano, entretanto, varia conforme o fluxo de defesas de tese. Além disso, há a possibilidade, com o apoio do orientador, de solicitação individual de bolsas de Doutorado junto à FAPESP. Atualmente, 14 de nossos alunos contam com bolsas FAPESP. 

 

O prazo máximo de vigência das bolsas CAPES e CNPq é 48 (quarenta e oito) meses para o Doutorado, contados a partir do ingresso do aluno seguindo critérios estabelecidos pelo Conselho de Doutorado em Ciências Sociais. Os prazos das bolsas FAPESP variam conforme as condições de sua aprovação.  

 

Para o recebimento das bolsas do Programa, os alunos assumem os seguintes compromissos com o curso:

· Cumprir as disciplinas obrigatórias conforme o calendário sugerido;

· Apresentar relatório semestral on line;

· Cumprir com a totalidade dos créditos em disciplinas até o 3º Semestre do curso;

· Realizar o Exame de Qualificação até 4o semestre do curso;

· Firmar compromisso, ao final do 7o semestre, que defenderá sua Tese ao final do 8o semestre ou 48o. mês após seu ingresso;

· Não realizar nenhum trancamento ou licenciamento no curso, exceto nas situações previstas (parto, bolsa sanduiche ou estágio no exterior aprovado pela Comissão de Coordenação);

 

O não cumprimento destas cláusulas acarretará em uma ou mais das seguintes penalidades, a serem julgadas pelo Conselho de Doutorado em Ciências Sociais e/ou pela Coordenação do Curso:   ·Cancelamento da bolsa a partir do momento em que se descaracterize o descumprimento de cláusula com provável devolução das parcelas da bolsa recebidas; ·Cancelamento do vínculo de orientação, com provável desligamento do curso;

 

Classificação dos alunos: As bolsas são atribuídas aos alunos seguindo a Lista de Classificação dos Ingressantes, divulgada após a matrícula.

Distribuição das bolsas: As bolsas serão distribuídas visando priorizar os optantes pelas cotas, mas também possibilitando a oportunidade para os demais ingressantes. Desta forma, haverá um rodízio na ordem das Linhas de Pesquisa, seguindo a distribuição do ano de 2017. Assim, a 1ª Área a receber bolsa em 2017 será a última em 2018, a 2ª em 2017 será a 1ª em 2018 e assim sucessivamente. Com relação aos optantes, será feita uma rodada para 1ºs optantes, seguidos de 1ºs não optantes, 2ºs optantes, 2ºs não optantes e assim por diante.

Ordem das Linhas de Pesquisa em 2017:

Processos Sociais, Identidades e Representações do Mundo Rural
Trabalho; Política e Sociedade
Estudos de Gênero 
Modos de conhecimento e suas Expressões: Experiências e Trajetórias
Estudos das Relações China-Brasil
Estudos sobre Cidades
Estudos sobre Patrimônio Cultural e Memória Social

Critérios para recebimento das bolsas do Curso (válido a partir de 2018):

Alunos não podem apresentar vínculo empregatício no momento da implementação da bolsa, com exceção os alunos que apresentem vínculo funcional com a rede pública de ensino básico ou na área de saúde coletiva, desde que tenham renda bruta inferior ao valor da bolsa e estejam liberados integralmente da atividade profissional.

 

Critérios para alunos já bolsistas:

Se o bolsista (aluno que já usufrui da bolsa), no decorrer do período de concessão da bolsa, vier a adquirir o vínculo empregatício e, se esse for relacionado com a sua área de formação e pesquisa, e desde que tenha a anuência do orientador e da comissão de bolsas do programa, através de uma declaração assinada por ambos, será permitido o acúmulo da bolsa com a renda. Segundo a Capes, o acúmulo é permito quando o vínculo empregatício é resultante da condição de bolsista, ou seja, quando ocorrer durante o período de concessão da bolsa.


Será permitido a sobreposição da bolsa e de um vínculo empregatício quando:
     a) O tempo de trabalho não ultrapassar 12 horas semanais;
     b) O trabalho se relacionar com a formação acadêmica ou com a pesquisa do aluno;
     c) A remuneração não for proveniente (ou derivada de recursos adquiridos) das Agências de Fomento à Pesquisa (CAPES, CNPq e FAPESP);
     d) O vínculo empregatício não for com Instituição ou Órgão Público Federal;