Próximas Defesas

Para agendar a Defesa de Tese:   A Defesa de Tese deve ser agendada no sistema SIGA (DAC/UNICAMP), através de uma série de procedimentos que podem ser observados no Manual de Defesa de Dissertação/Tese - clique aqui.    
Floresta de Gigantes: atores e estratégias em arenas do maior bloco de áreas protegidas da Amazônia
Aluno(a): Léo Eduardo de Campos Ferreira
Programa: Ambiente e Sociedade
Data: 30/10/2020 - 09:00
Local: Integralmente à distância
Membros da Banca:
  • Presidente: Lúcia da Costa Ferreira (Unicamp)
  • Edna Maria Ramos de Castro (Unicamp)
  • Henyo Trindade Barretto Filho (Universidade de Brasília)
  • Jorge Calvimontes (Nepam)
  • José Eduardo Viglio (Unicamp)
  • Gabriel Henrique Lui (Ministério do Meio Ambiente)
  • Luciana Barroso Costa França (Universidade Federal do Oeste do Pará)
  • Marcos Sorrentino (Universidade de São Paulo/ESALQ)
Descrição da Defesa:

Floresta de Gigantes: atores e estratégias em arenas do maior bloco de áreas protegidas da Amazônia

Sobre a lenha, labaredas. Poética da memória e do esquecimento nas artes verbais krahô (Timbira/Brasil central)
Aluno(a): Ian Packer
Programa: Antropologia Social
Data: 06/11/2020 - 09:00
Local: Integralmente à distância - https://stream.meet.google.com/stream/dee74e4a-68f1-481a-be0d-0e3ee92184da
Membros da Banca:
  • Prof. Dr. Antonio Roberto Guerreiro Junior (Presidente) - UNICAMP
  • Dra. Marcela Stockler Coelho de Souza - UnB
  • Dr. Sérgio Luiz Rodrigues Medeiros - UFSC
  • Dr. Pedro de Niemeyer Cesarino - USP
  • Dra. Vanessa Rosemary Lea - UNICAMP
Descrição da Defesa:

Essa tese apresenta uma etnografia da sociocosmologia krahô centrada na análise e na tradução de algumas das diferentes modalidades de artes verbais conhecidas e praticadas por este povo ameríndio (falante de uma língua Jê, habitante dos campos de cerrado do Brasil central). A investigação de um amplo corpus formado por narrativas míticas, depoimentos pessoais, exortações públicas, diálogos cerimoniais e cantos rituais me permitiu, por um lado, examinar os diferentes modos como os Krahô buscam produzir e estabelecer vínculos com seus antepassados e, por outro, identificar alguns dos conceitos e preocupações, dilemas e concepções que são comuns a essas distintas formas de conhecimento e que as articulam em um regime discursivo e poético mais amplo, para cuja compreensão esta tese pretende contribuir.

Tarsila Global: Releituras de sua obra
Aluno(a): Nerian Teixeira de Macedo de Lima
Programa: História
Data: 06/11/2020 - 14:00
Local: Integralmente à distância
Membros da Banca:
  • Prof. Dr. Gabriel Ferreira Zacarias (IFCH / UNICAMP) - Orientador
  • Dr. Vinicius Pontes Spricigo (UNIFESP) - Membro Titular
  • Dra. Ana Paula Cavalcanti Simioni (USP) - Membro Titular
  • Profa. Dra. Luana Saturnino Tvardovskas (IFCH / UNICAMP) - Suplente
  • Dra. Fernanda Ferreira Marinho Camara (UNIFESP) - Suplente
Descrição da Defesa:

O presente trabalho tem por objetivo analisar a partir das exposições Tarsila Popular (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - MASP, 2019), Tarsila do Amaral: Inventing Modern Art in Brazil (Museum of Modern Art-MoMA, 2018) e Tarsila Viajante (Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2008) a releitura do conjunto da obra de Tarsila do Amaral. Parte-se da hipótese de que apesar de disporem de um conjunto próximo de obras, as referidas mostras constituem-se como discursos distintos. Nesse sentido, interessa a esta investigação observar como a narrativa criada pelos grandes centros, em particular o MoMA, contrasta-se com a leitura local de seu trabalho e como estas distam entre si. Por fim, considerando os contrastes, pretende-se observar de que modo tais discursos projetam Tarsila como uma artista global.

 

Transmissão ao vivo: https://stream.meet.google.com/stream/6d67bc72-d376-45bd-a9e9-5eafdd4ba600

O DIÁRIO DE SEVERO FOURNIER E A REPRESSÃO NO BRASIL NA PRIMEIRA ERA VARGAS. (1930-1947)
Aluno(a): David Rodrigues Silva Neves
Programa: História
Data: 13/11/2020 - 14:00
Local: Integralmente a Distância
Membros da Banca:
  • Claudio Henrique de Moraes Batalha - Presidente (Unicamp)
  • Wagner Pinheiro Pereira (UFRJ)
  • Fernando Teixeira da Silva (Unicamp)
  • Benito Bisso Schmidt (UFRGS)
  • Leandro Pereira Gonçalves (UFJF)
Descrição da Defesa:

Severo Fournier foi um tenente do Exército brasileiro que participou de três movimentos armados durante a década de 1930. No último desses, liderou os integralistas no ataque ao Palácio Guanabara para tentar depor o então ditador Getúlio Vargas. Como não obteve o êxito necessário, acabou fugindo, sendo depois preso e torturado. Foi libertado em 1945, mas faleceu um ano depois em virtude de uma tuberculose pulmonar agravada, no período do qual esteve na prisão. Essa pesquisa tem por objetivo analisar o diário secreto escrito por Fournier bem como ampliar os estudos relacionados à repressão política que se abateu no Brasil durante os anos de 1935 até o fim do Estado Novo. Os relatos formulados por esse personagem histórico, durante sua permanência no cárcere, não só ampliarão o conhecimento sobre quem foi esse dissidente, bem como aprofundarão alguns temas associados a repressão policial e judicial à época do putsch integralista de maio de 1938.

Experiências da urbanização na Santa Ifigênia e Liberdade: (des)caminhos da modernização de São Paulo nos bairros centrais (1886 - 1923)
Aluno(a): Monique Felix Borin
Programa: História
Data: 25/11/2020 - 14:00
Local: Integralmente a Distância
Membros da Banca:
  • Maria Stella Martins Bresciani - Presidente (UNICAMP)
  • Paulo César Garcez Marins (USP)
  • Ana Lucia Duarte Lanna (USP)
  • Josianne Frância Cerasoli (UNICAMP)
  • Izabel Andrade Marson (UNICAMP)
Descrição da Defesa:

Esta tese investiga as experiências da urbanização nos bairros paulistanos da Santa Ifigênia e da Liberdade entre 1886 e 1923. Visa, a partir desse recorte, problematizar as teses elaboradas sobre a modernização de São Paulo nesse período em que a cidade viveu um surto de desenvolvimento econômico. Desde essa dimensão, buscamos discutir a própria formulação do conceito de modernização na historiografia sobre a capital paulista, e as conexões dessa discussão com a historiografia das reformas urbanas do século XIX no mundo ocidental. Santa Ifigênia e Liberdade estão, respectivamente, nos vetores de expansão a oeste e a sul desde a centralidade histórica da cidade, da qual são contíguos. A opção por esses bairros tanto se deve às dinâmicas que operaram na expansão urbana naquele momento, quanto por destoarem do imaginário sobre a urbanização da capital paulista, já que não dispunham de segregação ou especialização espacial rígidas - eram local de moradia de diferentes classes sociais, de comércio, de pequenas oficinas. Discutimos as dinâmicas de ocupação e adensamento desses territórios no seu entrelaçamento com as experiências urbanas de quem os habitava, assim como os processos envolvidos na formação da composição demográfica. Perscrutamos as múltiplas dimensões que perpassam a conformação do espaço urbano, pensando sobre as questões relativas à expansão, morfologia e implementação de equipamentos de infraestrutura urbana. Para tanto, a pesquisa procedeu o cruzamento de distintas fontes, como estratégia de análise para abordar o multifacetamento dissensual do urbano; entre as principais estão os autos crimes do Arquivo do Tribunal de Justiça de São Paulo e os ofícios e plantas de pedidos para obras particulares do Arquivo Histórico de São Paulo. A partir dessa análise, buscamos explicitar que a constituição desses bairros foi perpassada por conflitos que estão gravados em sua forma urbana. Ditos conflitos não eram somente locais, reverberando as implicações da colonialidade na estruturação das relações entre/intra classes, atravessadas pelas dinâmicas das relações raciais desde os processos de derrocada e abolição do escravismo negro e imigração europeia massiva.