O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.
  • URLs para as referências foram informadas quando possível.
  • O texto está em espaço simples; usa uma fonte de 12-pontos; emprega itálico em vez de sublinhado (exceto em endereços URL); as figuras e tabelas estão inseridas no texto, não no final do documento na forma de anexos.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.
  • Em caso de submissão a uma seção com avaliação pelos pares (ex.: artigos), as instruções disponíveis em Assegurando a avaliação pelos pares cega foram seguidas.

Diretrizes para Autores

O artigo deve ter no máximo 25 páginas (considere padrão Carta Letter, com 21,6x27,9cm) nas medidas abaixo mencionadas e apresentar resumo de aproximadamente 150 palavras com 4 palavras-chave, ambos em português e o mesmo em inglês (<i>abstract e keywords</i>). Deve ser gravado, preferencialmente, em programa <i>Word for Windows</i>, fonte <i>Times New Roman</i>, tamanho 12, entrelinhas 1,5 e margens de 3 cm (superior e esquerda) e 2,5 cm (inferior e direita). O espaço de notas de rodapé conterá as referências, citações e notas explicativas (fonte <i>Times New Roman</i>, tamanho 9); fotografias e desenhos devem ser enviados no formato <i>.tif</i> com definição de 300 <i>dpi</i> ou no original para possibilitar boa reprodução e gráficos, quadros, tabelas e fluxogramas devem ser gravados separadamente. Enviar em CD acompanhado de uma cópia impressa.
A resenha deve ter três (03) páginas nas medidas acima indicadas. Incluir informação completa sobre a obra resenhada: autor, título, subtítulo, tradutor, local, editor, ano, ISBN e número total de páginas (consulte a ficha catalográfica na obra).
Abaixo seguem exemplos de referências e citações de acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), NBR 6.023, 2002 e NBR 10.520, 2002 adotadas para os Cadernos AEL. Para dúvidas e exemplos complementares, utiliza-se a obra de J. L. FRANÇA & A. C. de VASCONCELLOS, <i>Manual de normalização de publicações técnico-científicas</i>, 7. ed., Belo Horizonte, Ed. da UFMG, 2004. 242 p. e LUFT, C. P. <i>Grande manual de ortografia Globo</i>. 5ª ed. Porto Alegre: Globo, 1997. 275 p. Para documentos de arquivo, as referências são indicadas pela equipe de produção da revista.
Solicita-se a máxima atenção para os itens que compõem as referências para facilitar o trabalho de preparação dos originais bem como a localização das referências pelos interessados.


– Referências

<u>Monografia</u>:

GORENDER, J. <i>Combate nas trevas</i>. 5. ed. rev. aum. São Paulo: Ática, 1999. 294 p. (Série Temas, 3).

ALMEIDA, M. H. T. de; WEIS, L. Carro zero e pau-de-arara: o cotidiano da oposição de classe média ao regime militar. In: SCHWARCZ, L. M. (Org.). <i>História da vida privada no Brasil</i>: contraste da intimidade contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. v. 4, p. 319-409.

THOMPSON, E. P. Economia moral revisitada. In: _____. <i>Costumes em comum</i>. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. p. 203-266.

SOUZA, P. de. <i>Confidências da carne</i>: o público e o privado na enunciação da sexualidade. 1993. 161 f. Tese (Doutorado em Lingüística)–Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1993.

SONNENBURG, C. R. Um modelo de fluxo de dados e respectiva arquitetura. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE ARQUITETURA DE COMPUTADORES, 7., 1995, Canela. <i>Anais</i>... Porto Alegre: Instituto de Informática da UFRGS, 1995. p. 41-60.


<u>Meio eletrônico</u>:

NABUCO, Joaquim. <i>A escravidão</i>. Portal Domínio Público. Recife: FUNDAJ: Massangara, 1988. Disponível em:
http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=15713. Acesso em: 27 abr. 2007.

SILVA, R. N.; OLIVEIRA, R. Os limites pedagógicos do paradigma da qualidade total em educação. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe, 4., 1996, Recife. <i>Anais eletrônicos</i>... Recife: UFPe, 1996. Disponível em: http://www.propesqu.ufpe.br/anais/anais/educ/ce04.htm. Acesso em: 21 jan. 1997.


<u>Artigo ou matéria de revista e boletim</u>:

GROSSMAN, H. A imagem da mulher na imprensa de esquerda no Brasil (1889-1922): uma exposição sumária. <i>Cadernos AEL</i>, Campinas, v. 5, n. 8/9, p. 69-86, 1998.

ANDRADE, A. Guerreiro da identidade. <i>Sui Generis</i>, Rio de Janeiro, v. 4, n. 37, p. 66, ago. 1998.


<u>Artigo ou matéria de jornal</u>:
(Quando não houver seção, caderno ou parte, a paginação do artigo ou matéria precede a data., Cf. NBR 6032:2002, p. 8.)

LEAL, L. N. MP fiscaliza com autonomia total. <i>Jornal do Brasil</i>, Rio de Janeiro, p. 3, 25 abr. 1999.

NAVES, P. Lagos andinos dão banho de beleza. <i>Folha de S.Paulo</i>, São Paulo, 28 jun. 1999. Folha Turismo, Caderno 8, p. 13.

ROMPER as ilusões. <i>Frente Operária</i>, São Paulo, n. 32, out. 1959.

O DESASTRE de novembro e o náufrágio do stalinismo e do prestismo. <i>A Luta de Classe</i>, [Rio de Janeiro], n. 28, p. 1, abr. 1936.

<i>Independência Operária</i>, [Rio de Janeiro], p. 3, jun. 1974.

<i>Bulletin Interne du Sécretariat International</i>, [S.l.], p. 4, 10-11, jan. 1954.


<u>Meio eletrônico</u> (inclusive microforma):

ARQUIVO EDGARD LEUENROTH. <i>Boletim do Arquivo Edgard Leuenroth</i>: o AEL via Internet, Campinas, ago. 2005. Seção Publicações recebidas. Disponível em: http://www.ifch.unicamp.br/ael>. Acesso em: 30 ago. 2005.

FREIRE, Isa Maria. Acesso à informação e identidade cultural: entre o global e o local. <i>Ci. Inf.</i>, Brasília, v. 35, n. 2, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19652006000200007&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 15 jan. 2007.

Orientação socialista, São Paulo, n. 5, p. 1, 1947. (Acervo do Arquivo Edgard Leuenroth/Unicamp, Campinas, MF 0646 ou MR 0198)

AINDA outra vez: Frente Única. <i>Orientação Socialista</i>, São Paulo, n. 12, p. 1, 1947. (Acervo do Arquivo Edgard Leuenroth/Unicamp, MF 0647 ou MR 0198.)


<u>Fontes primárias</u> (arquivos, centros de documentação):

Fundo DOPS, Prontuário n. 1.581, [Comitê Antifascista], documento n. 1, Arquivo do Estado de São Paulo, São Paulo, SP.

LACERDA, F. El Frente popular antiimperialista en Brasil. CONGRESSO DA INTERNACIONAL COMUNISTA, 8., p. 2. (Coleção Internacional Comunista, IC/0001, filme 494, assunto 1, dossiê 298, Arquivo Edgard Leuenroth/Unicamp, Campinas, SP.)

Cf. Carta à seção brasileira, março de 1968. (Fundo Fábio Munhoz, acervo CEMAP, Centro de Documentação e Memória/Unesp, São Paulo, SP.)

<i>Canais e lagoas</i>. Anotações sobre fontes de referência da classificação dos vegetais (nomenclatura). [S. l.], 1 p. (Fundo Octavio Brandão, Pm.29, pasta 44, Arquivo Edgard Leuenroth/Unicamp, Campinas, SP.)

<i>À Luta</i>: órgão do Bureau Político do POR(T)-Seção Brasileira da IV Internacional. [S. l.], 26 abr. 1964. (Fundo Fábio Munhoz, pasta 1, p. 60, Acervo Cemap, Centro de Documentação e Memória/Unesp, São Paulo.)

MASCARENHAS, J. A. [Carta] Rio de Janeiro, 22 jun. 1992 [para] Society for the Protection of Personal Rights. Tel Aviv, Israel. (Carta n. TR/92-25.)

<i>Porque um partido socialista?</i> [S. l.], [1977?]. p. 11. Biblioteca do Centro Pastoral Vergueiro, São Paulo, SP. Mimeografado.


<u>Documento de arquivo extraído de Instrumento de Pesquisa</u> (arquivístico):

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Arquivo Edgard Leuenroth. <i>Acervo Octavio Brandão</i>: inventário, Campinas, SP: Ed. da Unicamp, 1986. p. 158: Carta de Laura Brandão [à minha mãe] dando notícias familiares e comentando o dia em que no Brasil os trabalhadores viverem como na URSS. Moscou, 3 jun. 1932. 4 p. (Fundo Octavio Brandão, LBc. 6, pasta 118.)


<u>Meio eletrônico</u>:

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Arquivo Central do Sistemas de Arquivos da UNICAMP. Cesar Lattes: vida e obra. Disponível em: http://www.unicamp.br/siarq/lattes/. Acesso em 27 abr. 2007.


<u>Depoimento ou entrevista</u>:

PAZ, C. E. S. C. da. Carlos Eugênio Sarmento Coêlho da Paz: depoimento [19 jul. 2000]. Entrevistadora: Denise Rollemberg. Rio de Janeiro, 2000. Fita 2, lado A. Entrevista concedida ao projeto de pesquisa O Apoio de Cuba à Luta Armada no Brasil: o treinamento guerrilheiro. (Coleção Militância Política e Luta Armada, Arquivo Edgard Leuenroth/Unicamp).

Depoimento de Leôncio Martins Rodrigues, 18 jul. 1995, p. 28. (Acervo Cemap, Centro de Documentação e Memória/Unesp, São Paulo.)

Bernardo Cerdeira: entrevista [julho 2003]. Entrevistador: Marcos Moutta de Faria. São Paulo, 2003. (Bernardo Cerdeira integrava a Liga Operária e o MCS.)


Exemplos de informações complementares (no espaço de notas) que auxiliam o(a) leitor(a) a localizar fontes documentais:

Escrita no calor dos acontecimentos (logo após a derrota do levante militar de São Paulo, em 1924), a obra de Brandão foi a primeira tentativa de elaboração de uma análise marxista da realidade brasileira e serviu de base para as resoluções do 2º Congresso do PCB, realizado em 1925. Publicada em 1926, <i>Agrarismo e Industrialismo</i> foi o resultado de um trabalho de reflexão que durou dois anos. Para evitar a repressão, o autor utilizou o pseudônimo Fritz Mayer e colocou a edição proveniente de Buenos Aires, Argentina. [Esta obra foi reeditada incorporando correções feitas pelo próprio Octavio Brandão conforme documento pertencente ao Fundo Octavio Brandão, do acervo do Arquivo Edgard Leuenroth, da Unicamp: <i>Agrarismo e Industrialismo</i>: ensaio marxista-lenista sobre a revolta de São Paulo e a guerra de classes no Brasil: 1924. 2. ed. São Paulo: Anita Garibaldi, 2006. 196 p.]. [N. do Ed. para M. T. de ALMEIDA, <i>Cad. AEL</i> n. 22/23, 2005].

A coleção completa de <i>O Homem Livre</i> pode ser consultada no Centro de Documentação do Movimento Operário Mario Pedrosa (Cemap), cujo acervo está sob custódia do Cedem, Unesp, São Paulo [Praça da Sé, 108, 1º andar] além de cópias microfilmadas disponíveis na Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo, e na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. [Extraído de R. F. de CASTRO, <i>Cad. AEL</i>, n. 22/23, 2005].

A coleção de entrevistas foi depositada no Special Collections and University Archives, Rutgers University, New Brunswick, NJ e reproduzida para comercialização pela IDC Publishers. O AEL possui em 15 rolos de microfilmes, as 213 entrevistas da Interviews Collection Robert Alexander [Robert Jackson Alexander], relativos ao período entre 1947 e 1994. Cf. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Arquivo Edgard Leuenroth. Coleção Interviews Collection. Disponível em: http://www.ifch.unicamp.br/ael/website-ael_icra/website-ael_icra.htm. Acesso em: 11 jan. 2007. [N. do Ed. para P. Broué, <i>Cad. AEL</i> 22/23, 2005].

Foram publicadas [O Homem Livre] 22 edições, sendo a última a de 24 de fevereiro de 1934. As edições tinham entre 4, 6 e 8 páginas dependendo das precárias condições financeiras do jornal. Nessa mesma época existia um jornal homônimo na cidade do Rio de Janeiro, então Distrito Federal, dirigido por Hamilton Barata e que foi editado até pelo menos 1935. [Extraído de R. F. de CASTRO, <i>Cad. AEL</i>, n. 22/23, 2005].

A <i>Luta de Classe</i> foi o órgão oficial dos diversos grupos trotskistas dos anos 1930: Grupo Comunista Lenine, de maio de 1930 a janeiro de 1931; Liga Comunista do Brasil, de 1931 a 1933; Liga Comunista Internacionalista, de 1933 a 1936; Partido Operário Leninista, de 1936 a 1939 e Partido Socialista Revolucionário, de 1939 a 1952. Apesar da diversidade de denominações, a existência de um fio de continuidade em termos de linha política, de militantes, de filiação internacional e a manutenção do seu órgão oficial atestam uma unidade. [Extraído de M. T. de ALMEIDA, <i>Cad. AEL</i> n. 22/23, 2005].


IV - Citações em documentos
(Somente depois que as obras já apareceram com referência completa. É necessário indicar a página.)

a) Id. quando for mesmo autor em outra obra e aparecer logo abaixo. Exemplo:
CALVINDES, 1959, p. 2.
Id., 1962, p. 94.
b) Ibid. quando for mesmo autor, na mesma obra, em página diferente e aparecer logo abaixo. Exemplo:
EMMANUEL, 1995, p. 176.
Ibid., p. 190.
c) Op. cit., quando for obra citada anteriormente, intercalada por outro autor. Exemplo:
GUETHER, 1995, p. 63.
BRITO NETTO, 1999, p. 37-59.
GUETHER, op. cit., p. 81.
d) Passim, quando indicar citação em diversas passagens da obra. Exemplo:
RIBEIRO, 1997, passim.
e) Loc. cit., quando for da mesma página, da mesma obra citada imediatamente antes. Exemplo:
PILSON; SANTOS, 1994, p. 23-49.
PILSON; SANTOS, loc. cit.
f) Cf., quando o autor sugere consulta, confronto com uma determinada obra citada. Exemplo:
Cf. GEROMMEL, 2001.
g) Et. seq., quando indica uma página e a seqüência dela; a que se segue. Exemplo:
DUTRASSE, 1998, p. 49 et. seq.
h) Apud, indica que a passagem citada já foi utilizada por outro autor. Exemplo:
BARBIERI, 1988 apud SEGANFRADO, 1976, p. 34-36.

Artigos

Política padrão de seção

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.