Normas

Artigos e resenhas fora das normas técnicas apresentadas abaixo serão devolvidos. 

São aceitas contribuições em português, inglês e espanhol.

ATENÇÃO: O nome da/o autor/a NÃO DEVE constar no arquivo enviado, assim como qualquer outra informação que possa servir para sua identificação.

 

1. INFORMAÇÕES GERAIS

  • Artigos

Todos os artigos devem conter:

* Título em português e em inglês;

* Palavras-chave e keywords (no máximo 5 de cada);

* Resumo e abstract (no máximo 250 palavras cada);

* Referências bibliográficas ao final do texto.

Tamanho do artigo: entre 30.000 e 45.000 caracteres com espaço (incluindo resumo/abstract, palavras-chave/keywords, notas de rodapé e bibliografia).


  • Resenhas

Modalidades:

* Livros publicados originalmente em português;

Livros publicados originalmente em língua estrangeira;

* Traduções de livros estrangeiros para o português (neste caso, a resenha deve comentar não apenas o livro original, mas também a tradução).

Os livros resenhados devem:

* Ter sido publicados há, no máximo, 5 anos. Isto vale para todas as categorias anteriores (ou seja, serão aceitas resenhas de livros estrangeiros publicados há mais de 5 anos, mas cuja tradução para o português tenha sido publicada nos últimos 5 anos). Caso o autor ou a autora considerem justificado resenhar um livro que não se encaixe neste prazo, ele ou ela podem escrever para a revista comunicando as razões para tanto;

* Ter algum diálogo com a Teoria Crítica, entendida de modo amplo (com possibilidade de uma justificativa curta da resenha por parte da autora ou do autor, caso tal diálogo não seja evidente).

A resenha NÃO deve conter resumo/abstract, palavras-chave/keywords, nem referências bibliográficas ao final to texto. Recomenda-se o uso moderado de notas de rodapé.

Tamanho da resenha: entre 7.000 e 10.000 caracteres com espaço (incluindo notas de rodapé). 

 

2. FORMATAÇÃO

* Formato do arquivo: .doc;

* Fonte: Times New Roman;

* Tamanho da fonte: 12.

  


3. CITAÇÕES E REFERÊNCIAS

Citações

Autor (ano: página) afirma que ... (citação ou paráfrase)

ou

"..." (Autor ano: página).

Exemplos:

Adorno e Horkheimer (1985: 27) afirmam que ...

"..." (Adorno e Horkheimer 1985: 27).

Buck-Morss (2000) oferece um panorama de ...

Há diferentes obras (p. ex. Buck-Morss 2000, Baugh 2003) que argumentam que ...

Forst (2008a: 166) afirma que ...

 

Referências bibliográficas 

O * indica um campo a ser incluído apenas se aplicável.

  • Livro

SOBRENOME, inicial do prenome do(s) autor(es). Título: subtítulo. Trad. nome do tradutor*. Local: Editora, ano de publicação [ano de publicação original*]. 

Exemplos: 

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento: Fragmentos filosóficos. Trad. G. A. de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1985 [1944].

BAUGH, B. French Hegel: From Surrealism to Postmodernism. New York: Routledge, 2003.

HORKHEIMER, M. et al. Studien über Autorität und Familie: Forschungsberichte aus dem Institut für Sozialforschung. Lüneburg: Dietrich zu Klampen, 1987 [1936].

JAY, M. A imaginação dialética: História da Escola de Frankfurt e do Instituto de Pesquisas Sociais, 1923-1950. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008 [1973].


  • Capítulo de livro

SOBRENOME, inicial do prenome do(s) autor(es). "Título do capítulo". In: SOBRENOME, inicial do prenome do(s) autor(es) ou organizador(es) do livro (org[s].). Título: subtítulo. Trad. nome do tradutor*. Local: Editora, ano de publicação [ano de publicação original*], páginas inicial e final do capítulo.

Exemplos:

BENHABIB, S.; BONß, W.; MCCOLE, J. "Max Horkheimer: Between Philosophy and Social Science". In: — (orgs.). On Max Horkheimer: New Perspectives. Cambridge, Mass./London: The MIT Press, 1993, p. 1-22.

HORKHEIMER, M. "Teoria tradicional e teoria crítica". In: Benjamin, Horkheimer, Adorno, Habermas (coleção Os Pensadores). Trad. Edgard Afonso Malagodi e Ronaldo Pereira Cunha. São Paulo: Abril, 1975 [1937], p. 125-162.


  • Artigo de periódico

SOBRENOME, inicial do prenome do(s) autor(es). "Título do artigo: subtítulo". Trad. nome do tradutor*. Título do periódico volume (número), páginas inicial e final do artigo, data da publicação [ano de publicação original*].

Exemplos: 

BUCK-MORSS, S. "Hegel and Haiti". Critical Inquiry 26 (4), p. 821-865, 2000. 

POLLOCK, F. "State Capitalism". Zeitschrift für Sozialforschung 9, p. 200-225, 1980 [1941].

VOIROL, O. "Teoria crítica e pesquisa social: da dialética à reconstrução". Trad. Bruno Simões. Novos Estudos Cebrap 93, p. 81-99, 2012. 

 

  • Tese, dissertação e outros trabalhos acadêmicos

SOBRENOME, inicial do prenome do autor. Título da tese. Tipo de documento (tese, dissertação, trabalho de conclusão de curso, etc.). Local: instituto ou faculdade/Universidade, ano.

Exemplos: 

MEDEIROS, J. M. S. Crítica imanente como praxis: Apresentação e investigação no ensaio lukácsiano sobre a reificação. Dissertação (Mestrado em Filosofia). São Paulo: FFLCH/USP, 2012.

NOBRE, M. Experiência e modernidade: Um comentário da "Introdução" à Fenomenologia do espírito de Hegel. Tese (Livre-Docência). Campinas: IFCH/Unicamp, 2013. 


  • OBS: Obras do mesmo autor publicadas na mesma data devem ser diferenciadas acrescentando-se uma letra ao ano (1978a, 1978b, etc.).

 

FORST, R. "'To Tolerate Means to Insult': Toleration, Recognition, and Emancipation". In: BRINK, B.; OWEN, D. (orgs.), Recognition and Power: Axel Honneth and the Tradition of Critical Social Theory. Cambridge: Cambridge University Press, 2007a, p. 215-237.

FORST, R. "First Things First: Redistribution, Recognition and Justification". European Journal of Political Theory 6 (3), p. 291-304, 2007b.