Agroecologia e feminismo no Vale do Ribeira: contribuição para o debate sobre reprodução social

Isabelle Hillenkamp, Miriam Nobre

Resumo


Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa-ação realizada junto a uma rede de mulheres agricultoras do município de Barra do Turvo, no Vale do Ribeira (SP), apoiada pela ONG feminista SOF, no âmbito de um projeto de promoção da agroecologia. Analisamos o processo de transformação social que este projeto impulsiona, observando como certas dimensões da reprodução social são ressignificadas e transformadas. Questionamos as condições das mudanças observadas no que diz respeito à constituição da agroecologia como sujeito político em nível nacional e local e à construção de solidariedade entre mulheres em meio a diferentes conflitos. Consideramos esta transformação como um processo em andamento, que parte da ressignificação da produção agrícola, e gera valorização do trabalho das mulheres, provocando algumas renegociações das relações de gênero e um novo compromisso das mulheres com questões políticas. As solidariedades observadas se fortaleceram com base em objetivos comuns dentro e entre os grupos de mulheres cuja natureza e lugar nos bairros se transformou gradualmente. Essa dinâmica esteve baseada na experimentação e na afirmação progressiva de novas práticas e relações sociais que visam uma maior autonomia e formas ecológica e socialmente mais sustentáveis de reprodução da vida.


Texto completo:

PDF

Referências


ALTIERI, Miguel. Agroecology : The science of Sustainable Agriculture. Boulder: Westview Press, 1995, 433 p.

ALVAREZ, Sonia E. Advocating feminism: the Latin American feminist NGO'boom'. International feminist journal of politics, v. 1, n. 2, p. 181-209, 1999.

BIM, Ocimar. Mosáico do Jacupiranga – Vale do Ribeira, São Paulo: conservação, conflitos e soluções socioambientais. Dissertação (Mestrado em Geografia). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues; TSIKIOKA, Crismere Gadelha; CARVALHO, Maria Celina Pereira De. O cerco do verde: o olhar dos outros sobre a questão do ambiente. Ambiente & Sociedade, n. 5, p. 155-180, 1999.

CARRASCO, Cristina. A sustentabilidade da vida humana: um assunto de mulheres? In: FARIA, N. e NOBRE, M. A produção do viver: ensaios de economia feminista. São Paulo: Cuadernos Sempreviva, SOF, p. 11-49, 2003.

______. La economía feminista: ruptura teórica y propuesta política. In: CARRASCO, C. Con voz propia. La economía feminista como apuesta teórica y política: La Oveja Roja, p. 25-48, 2014.

DELGADO, Nelson G. O papel do rural no desenvolvimento nacional: da modernização conservadora dos anos 1970 ao Governo Lula. In : DELGADO, N. G. Brasil rural em debate: coletânea de artigos. Brasília (DF): CONDRAF/NEAD, p. 28-78, 2010.

DELPHY, Christine. L'ennemi principal : économie politique du patriarcat. Paris: Syllepse, tome 1, 1998, 180 p.

FILIPAK, Alexandra. Políticas públicas para mulheres rurais no Brasil (2003-2015): análise a partir da percepção de mulheres rurais e de movimentos sociais mistos. Dissertação (Doutorado em Ciências Sociais). Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, 2017.

GEORGES, Isabel; Dos SANTOS, Yumi Garcia, Eds. As 'novas' políticas sociais brasileiras na saúde e na assistência : produção local do serviço e relações de gênero. Belo Horizonte: Fino Traço, 2016.

GLIESSMAN, Stephen. Agroecology : ecological Processes in Sustainable Agriculture. Chelsea, MI: Ann Arbor Press, 1998, 357 p.

GRISA, Catia; SCHNEIDER, Sergio. Três Gerações de Políticas Públicas para a Agricultura Familiar e Formas de Interação entre Sociedade e Estado no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural (Piracicaba, SP), v. 52, n. 1, p. 125-146, 2014.

GUETAT-BERNARD, Hélène; PREVOST, Héloïse. L’agro-écologie au Brésil, un instrument genré de luttes sociales. L'Ordinaire des Amériques, v. 220, 2016.

HILLENKAMP, Isabelle; GUERIN, Isabelle; VERSCHUUR, Christine. Cruzando os caminhos da economia solidária e do feminismo: passos para uma convergência necessária Revista Economía (Quito), v. 69, n. 109, p. 43-60, 2017.

HILLENKAMP, Isabelle; NOBRE, Miriam; com a colaboração de Viviane FRANCO, Daniela IANOVALLI, Gláucia MARQUES e Sheyla SAORI,. Por uma economia solidária e feminista: pesquisa-ação no Vale do Ribeira. In: (Ed.). Anais do V Simpósio Desigualdade Direitos e Políticas Públicas: http://repositorio.unisinos.br/anais/eventos/vsimposio.html#749/z, p. 749-764, 2016.

HORA, Karla; BUTTO, Andrea. Políticas públicas para mulheres rurais no contexto dos Territórios da Cidadania. In: BUTTO, Andrea et al. Mulheres rurais e autonomia. Formação e articulação para efetivar políticas públicas nos territórios da cidadania. Brasilia: Ministério do Desenvolvimento Agrário, p. 14-45, 2014.

JALIL, Laeticia Medeiros. As Flores e os Frutos da luta: O significado da organização e da participação política para as Mulheres Trabalhadoras Rurais. Dissertação (Tese de Doutorado em Ciências Sociais). Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 2013.

LUZZI, Nilsa. O debate agroecológico no Brasil: uma construção a partir de diferentes atores sociais. Dissertação (Tese de Mestrado). Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

MASSON, Dominique; CONWAY, Janet. La Marche mondiale des femmes et la souveraineté alimentaire comme nouvel enjeu féministe. Nouvelles Questions Féministes, v. 36, n. 1, p. 32-47, 2017.

NOBRE, Miriam. Economia solidaria, agroecologia y feminismo: prácticas para la autonomía en la organización del trabajo y de la vida. In: VERSCHUUR, C.;GUÉRIN, I., HILLENKAMP, I. Une économie solidaire peut-elle être féministe ? Homo oeconomicus, mulher solidaria. Paris: L'Harmattan, p. 273-294, 2015.

PAULILO, Maria Ignez Silveira. Que femenismo é esse que nasce na horta? Política & Sociedade, v. 15, p. 296-316, 2016.

SABOURIN, Éric. L’agriculture brésilienne en débat : évolutions récentes, controverses et politiques publiques. Problèmes d'Amérique latine, v. 95, n. 4, p. 33-55, 2014. Disponível em: < https://www.cairn.info/revue-problemes-d-amerique-latine-2014-4-page-33.htm >.

SANCHEZ, Fábio José Bechara. Identidade e Conflito: A construção política dos "remanescentes de quilombo" do Vale do Ribeira. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

SANCHEZ, Fabio José Bechara ; TURATTI, Maria Cecília Manzol. Agricoltura famigliare ed etnicità: le trasformazioni delle lotte contadine in Brasile. Sociologia del Lavore, v. 128, p. 135-151, 2012.

SILIPRANDI, Emma. Mulheres e Agroecologia: a construção de novos sujeitos políticos na agricultura familiar. Dissertação (Tese de doutorado). Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília, Brasília, 2009.

SORRENTINO, Marcos et al., Eds. Educação, agroecologia e bem viver: transição ambientalista para sociedades sustentáveis. Piracipaba (SP): MH-Ambiente Natural, 2017, 344 p.

STEENBOCK, Walter et al. Agrofloresta, ecologia e sociedade. Curitiba: Kairós, 2013, 422 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Isabelle Hillenkamp, Miriam Nobre



Temáticas - revista de pós-graduandos em ciências sociais da Unicamp

ISSN: 1413-2486

e-ISSN: 2595-315X