Políticas públicas compensatórias para a mecanização do corte de cana crua: indo direto ao ponto

  • Francisco Alves Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Resumo

Este trabalho defende a implementação de políticas públicas compensatórias, que mitiguem a destruição dos postos de trabalho gerados pela mecanização total do corte de cana crua sem queimar. As propostas aqui apresentadas buscam a geração de trabalho e renda tanto nas regiões canavieiras quanto nas regiões de origem do grande contingente de trabalhadores migrantes sazonais pendulares, que anualmente saem de suas regiões de origem para buscar a venda de sua força de trabalho onde a cana demanda trabalhadores. Nesse trabalho defende-se, além da qualificação profissional dos trabalhadores desempregados, a destinação social das terras que serão desocupadas pela cana, com a mecanização completa do corte, nas regiões de destino, quanto à reforma agrária nas regiões de origem dos trabalhadores migrantes.

Biografia do Autor

Francisco Alves, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar
Francisco Alves é professor associado do Departamento de Engenharia de Produção da UFSCar, graduado em economia com mestrado em engenharia de produção e doutoramento em economia pela Unicamp.

Referências

ALVES, F. A mecanização do corte de cana e o movimento dos trabalhadores assalariados volantes na região de Ribeirão Preto: algumas reflexões. Cadernos de Engenharia de Produção, São Carlos, DEP/UFSCar, ano V, n. 12, p. 18-48, 1989.

______. Modernização da agricultura e sindicalismo: as lutas dos trabalhadores assalariados rurais na região canavieira de Ribeirão Preto. 1991. Tese (Doutorado) – IE/Unicamp, Campinas.

______. Progresso técnico e trabalho migrante no setor sucroalcooleiro da região de Ribeirão Preto. Travessia – Revista do Migrante, São Paulo, Centro de Estudos Migratórios, v. 7, p. 17-22, jan./abr. 1994.

______. O corte de cana crua: talvez haja luz no meio da fumaça. Teoria e Pesquisa, São Carlos, Departamento de Ciências Sociais/ UFSCar, n. 12/13, p. 17-28, jan./jun. 1995.

______. Por que morrem os cortadores de cana. Saúde e Sociedade, n. 15/3, p. 90-98, set./dez. 2006,

______. Migração de trabalhadores rurais do Maranhão e Piauí para o corte de cana em São Paulo - Será este um fenômeno casual ou recorrente? IN NOVAES, R; ALVES, F. (ORG). MIGRANTESTrabalho e Trabalhadores no Complexo Agroindustrial Canavieiro (Os Heróis do agronegócio brasileiro). São Carlos: UDUFSCAR,

, p. 21-54.

ALVES, F. et al. Políticas públicas para o desenvolvimento autosustentável da bacia hidrográfica do rio Mogi-Guaçu. Relatório de pesquisa, Fapesp, DEP/UFSCar. São Carlos, 2003, mimeo.

ALVES, F.; ALMEIDA, L. Novas formas de contratação de mãode-obra rural na nova configuração do complexo agroindustrial citrícola paulista. Revista Informações Econômicas, São Paulo, Instituto de Economia Agrícola, v. 30, n. 12, p. 7-20, dez. 2000.

ALVES, F.; ALVES, M. Crise e perspectivas do setor sucroalcooleiro no estado de São Paulo. In: FERRAZ, J; PRADA, L; PAIXÃO, M. (Ed.). Certificação socioambiental do setor sucroalcooleiro. São Paulo: Embrapa/Imaflora/Fase, 2000, p. 147-171.

ALVES, F.; ASSUMPÇÃO, M. R. P. Competitividade do SAG da cana-de-açúcarin Sebrae/IEL. O novo ciclo da cana – Estudo sobre a competitividade do sistema agroindustrial da cana-de açúcar e prospecção de novos empreendimentos. Brasília, 2005, p. 37-100.

ALVES, F.; NOVAES, J.; RICCI, R. Dinâmica do mercado de trabalho no setor sucroalcooleiro no Brasil. Estudos de Política Agrícola, Brasília, Ipea, n. 15, 1994.

ALVES, F.; PAIXÃO, M. Relações de trabalho. IN ALVES, F., FERRAZ, J.M.G., GUEDES PINTO, L.F., SZMRECSÁNYI, T. (ORG.). Certificação socioambiental para agricultura: Desafios para o setor sucroalcooleiro. São Carlos: RDUFSCar. IMAFLORA, 2008, p. 178-229.

ALVES, M. Mudança tecnológica no setor sucroalcooleiro. In: Anais do XX Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica. São Paulo, 1998, CD-ROM.

______. A liga do açúcar: integração da cadeia produtiva do açúcar à rede de suprimento à indústria de alimentos. 2001. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo (Escola Politécnica), São Paulo.

DELGADO, G.; SANT’ANA, R. Setor sucro-alcooleiro: tendências recentes da produção e do mercado de trabalho (versão corrigida em 16/11/2007), 2008, xerox.

FERREIRA, L.; GONZAGA, M.; DONATELLI, S. Análise coletiva do trabalho dos cortadores de cana da região de Araraquara. São Paulo: Fundacentro, 1996.

GRAZIANO DA SILVA, J. Progresso técnico e relações de trabalho na lavoura canavieira. São Paulo: Hucitec, 1981.

JANK, M.; NEVES, E. Cana-de-açúcar, entre o velho e o novo. O Estado de S. Paulo. São Paulo, 27/8/2008, p. A2, Espaço Aberto.

MARX, K. O capital. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.

NOVAES, J. Modernização, relações de trabalho e poder: um estudo das transformações na agroindústria canavieira no Nordeste. 1993. Tese (Doutorado) – IE/Unicamp, Campinas.

NOVAES, J. Quadra fechada. Videodocumentário em VHS. Rio de Janeiro: IE/UFRJ, 2007.

NOVAES, J.; ALVES, F. Migrantes. Videodocumentário em DVD. São Carlos: UFSCar, UFRJ, UFMA, UFPI, 2007.

NOVAES, J.; ALVES, F. (Org.). No eito da cana: exploração do trabalho e luta por direitos na região de Ribeirão Preto. São Carlos: Rima, 2003.

______. Migrantes – Trabalho e trabalhadores no Complexo Agroindustrial Canavieiro (os heróis do agronegócio brasileiro. São Carlos: EDUFSCar, 2007.

PAIXÃO, M. No coração do canavial: estudo crítico da evolução do complexo agroindustrial sucroalcooleiro e das relações de trabalho na lavoura canavieira (estudo comparativo em 12 estados do Brasil). 1994. Dissertação (Mestrado) – Coppe/UFRJ, Programa de Engenharia de Produção, Rio de Janeiro.

______. Relações de trabalho na agroindústria sucroalcooleira do Brasil: Exclusão ou cidadania?.

In: FERRAZ, J; PRADA, L.; PAIXÃO, M. (Ed.). Certificação socioambiental do setor sucroalcooleiro.

São Paulo: Embrapa/Imaflora/Fase, 2000, p. 111-145.

SILVA, M. A. M. Errantes do Fim do Século. Ararauquara: EDUNESP, 2002.

SZMRECSÁNYI, T. O planejamento da agroindústria canavieira do Brasil (1930-1975). São Paulo: Hucitec, 1979.

SZMRECSÁNYI, T. Tecnologia e degradação ambiental: o caso da agroindústria canavieira no estado de São Paulo. Informações Econômicas IEA, v. 224, n. 10, p. 45-57, out. 1994.

VEIGA, J.; VICENTE, M.; BAPTISTELLA, C. Mercado de trabalho rural. Prognóstico. São Paulo: Instituto de Economia Agrícola de São Paulo, 1999, p. 1-6.

VEIGA FILHO, A. Mecanização da colheita da cana-de-açúcar no estado de São Paulo: uma fronteira de mecanização tecnológica da lavoura. 1998. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Geociências/Unicamp, Campinas.

Como Citar
Alves, F. (1). Políticas públicas compensatórias para a mecanização do corte de cana crua: indo direto ao ponto. RURIS - Revista Do Centro De Estudos Rurais - UNICAMP, 3(1). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ruris/article/view/687
Seção
Dossiê: Agroindústria Canavieira: Trabalho, Trabalhadores e Processo Produtivo