Ser-tão

Rubinéia

  • Chryslen Mayra Barbosa Gonçalves Universidade Estadual de Campinas
  • Vinicius Rezende Carretoni Vaz Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: Sociologia rural, Lutas do Campesinato, Messianismo

Resumo

A cidade de Rubinéia pertencente ao noroeste do Estado de São Paulo com 3.060 habitantes (IBGE/2015) é hoje um município conhecido pelo seu potencial turístico, haja vista que está envolta em três lados pelo rio Paraná, além de ser composta por grandes belezas naturais. É considerada uma “provinciana” cidade do interior da qual só é valorizado seu aspecto turístico, desconsiderando que, neste solo, nestas terras, esta população carrega consigo uma história de lutas, de resistência, e este “Sertão” tem, entrelinhas, muito mais do que aparenta. Este trabalho vem apresentar aos que desconhecem a história deste município, lutas travadas, repressões governamentais, descasos da economia, valorização do latifúndio em detrimento do fator humano, que compuseram e compõem a história do povo e de cada mínima parte das terras de Rubinéia.

Biografia do Autor

Chryslen Mayra Barbosa Gonçalves, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda vinculada ao Programa de Pós-graduação em Antropologia Social.

Vinicius Rezende Carretoni Vaz, Universidade Estadual Paulista

Doutorando vinculado ao Programa Interunidades em Integração da América Latina (Prolam) da Universidade de São Paulo.

Referências

BOURDIEU, P. O poder simbólico- Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Problemas da Agricultura Brasileira e Suas Causas. Journal of Inter-American Studies, 6 (1), janeiro 1964: 43-55.

CHAIA, Vera. Santa Fé do Sul: A Luta dos Arrendatários. Cadernos AEL, n. 7, 1997. 11-49 p.

CUNHA, E. Os sertões [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2010. 516 p. ISBN: 978-85-7982-007-6. Available from SciELO Books

LIMA, Airton S. (2005) Vítimas do ódio: a luta pela terra em Tupã, a repressão e a militância comunista no interior paulista. Trabalho de Conclusão de Curso (de graduação em Ciências Sociais) – Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista, Campus de Marília, Marília.

LOPREATO, Christina da Silva Roquete. Milagres da fé: Messianismo e repressão política no Brasil dos anos 70 – Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1999.

MARTINS, Bruno de Caldas; CAVICHIA, Alessandro Henrique. Guerra do Arranca-Capim: Protagonismo de Jôfre Corrêa Netto (1959-1962) - REUNI, Edição IX, 150-162, 2018.

MELO, Beatriz M.; SILVA, Maria Aparecida. Entre Memória e história: ocupação do noroeste paulista, entre a utopia camponesa e a acumulação – XV Congresso Brasileiro de Sociologia 26 a 29 de julho 2011, Curitiba (PR).

MORALES, Lúcia Arrais Morales. Vai e Vem, Vira e Volta. As rotas dos soldados da borracha - São Paulo: Annablume, 2002.

NOGUEIRA NEGRÃO, Lísias. REVISTA USP, São Paulo, n.82, p. 32-45, junho/agosto 2009.

SCHIAVO, Sylvia. Sertão uno e múltiplo ou ‘lua pálida no firmamento da razão Sociedade e Cultura, v. 10, n. 1, jan./jun. 2007, p. 41-44.

SENA, Custódia Selma. A categoria Sertão: Um exercício de imaginação antropológica - Sociedade e Cultura, 1 (1): 19-28, jan./jun. 1998.

SILVA, Luiz Sérgio Duarte da. Teses sobre Sertão e cidades de fronteira: labirinto e barroco - O público e o privado - Nº7 - Janeiro/Junho - 2006.

SOUZA, Percival. A revolução dos loucos. São Paulo: Global, 1980.

Reportagem: “Boiadeiro de Deus”. Veja, 4 dez. 1974.

REIS, Nazareth dos. “Tensões sociais no campo: Rubinéia e Santa Clara D´Oeste”. São Paulo: PUC, 1990.

Publicado
2020-07-25
Como Citar
Gonçalves, C. M. B., & Vaz, V. R. C. (2020). Ser-tão. RURIS - Revista Do Centro De Estudos Rurais - UNICAMP, 12(1), 131-152. Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ruris/article/view/2750
Seção
Artigos