Qualificação da imigração no Brasil: um novo capítulo das políticas imigratórias?

Patricia Villen

Resumo


Este artigo revisita e analisa alguns traços histórico-ideológicos do debate das políticas imigratórias no Brasil, no que diz respeito à necessidade de atração da força de trabalho do imigrante. Em um primeiro momento, propõese uma releitura do discurso de Joaquim Nabuco, ilustrativo das estratégias de justificação e legitimação das políticas imigratórias no período de maior entrada de imigrantes no Brasil (1850-1914). Em um segundo momento, identificamos a situação desse ideário no período posterior à eclosão da crise econômica mundial (2007), em que a política imigratória se declara de novo ativa no Brasil, mostrando o peso assumido pela noção de “qualificação” e os paralelos analíticos que podem ser traçados com as estratégias ideológicas pró-imigração do passado.

Palavras-chave


Trabalho; Imigração; Ideologia

Texto completo:

PDF

Referências


ALARCÓN, Rafael. Skilled immigrants and cerebreros: foreign-born engineers and scientists in the hightechnology industry of Silicon Valley. In: FONER, Nancy

et al. Immigration research for a new century: multidisciplinary perspectives. Nova York: Russell Sage Foundation, 2000.

ANTUNES, Ricardo. A era da informatização e a época da informalização: riqueza e miséria do trabalho do Brasil. In: ANTUNES, Ricardo (Org.). Riqueza e miséria do trabalho no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2006.

ARAGONÉS, Ana M.; SALGADO, Uberto. Mercado de trabajo en la economía del conocimiento y el fenómeno migratorio: el caso de Estados Unidos (1990-2006). In: ARAGONÉS, Ana M. (Org.). Mercado de trabajo y migración internacional. México: Unam, Instituto de Investigaciones Económicas, 2011.

AZEVEDO, Célia M. M. de. Onda negra, medo branco: o negro no imaginário das elites – Século XIX. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

BAENINGER, Rosana. Estrangeiros autorizados a trabalhar no Brasil. In: CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS. Doutores 2010: estudos da demografia da base técnico-científica brasileira. Brasília: CGEE, 2010.

BASTOS, José T. Naturalização. São Paulo: Livraria Acadêmica, 1926.

BRASIL JR., Antônio. O imigrante e seus irmãos: as pesquisas empíricas de Florestan Fernandes e Gino Germani. Lua Nova, n. 81, p. 175-213, 2010.

BUENO, Alexandre M. Representações discursivas do imigrante no Brasil a partir de 1945. 2011. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

CASTLES, Stephen; MILLER, Mark J. The age of migration: international population movements in the modern world. Londres, Nova York: MacMillan Press, 1993.

DAVATZ, Thomas. Memórias de um colono no Brasil (1850). São Paulo: Martins, 1972.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS – DIEESE. Qualificação e mercado de trabalho: apontamentos para política pública em regiões metropolitanas. São Paulo: Dieese, 2011.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes: o legado da “raça branca”. São Paulo: Globo, 2008, v. 1.

FOREQUE, Flávia; NUBLAT, Johanna. Governo planeja importar médico para rede pública. Folha de S.Paulo, 1o mar. 2013, Cotidiano.

FUSCO, Camila. Qualificação profissional atrai brasileiras. Folha de S.Paulo, 16 out. 2011, Mercado.

HALL, Michael M. The origins of mass immigration in Brazil (1871-1914). 1969. Tese (Doutorado) – Faculty of Political Science, Columbia University, Colúmbia.

MARSON, Izabel A.; TASINAFO, Célio R. Introdução. In: NABUCO, Joaquim. O abolicionismo. Brasília: Universidade de Brasília, 2003.

MARTIN, Philip et al. Managing labour migration in the twentyfirst-century. New Haven: Yale University, 2006.

NABUCO, Joaquim. Discursos parlamentares. Rio de Janeiro: Departamento de Imprensa Nacional, 1950.

____. O abolicionismo. Brasília: Universidade de Brasília, 2003.

NOGUEIRA, Marco A. As desventuras do liberalismo: Joaquim Nabuco, a Monarquia e a República. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

NUCCI, Priscila. Os intelectuais diante do racismo antinipônico no Brasil: textos e silêncios. São Paulo: Annablume, 2010.

POTTS, Lydia. The world labour market: a history of migration. Londres, New Jersey: Zed Books, 1990.

PRADO JR., Caio. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1976.

RAMOS, Jair S. O poder de domar do fraco: construção de autoridade e poder tutelar na política de povoamento do solo nacional. Niterói: Eduff, 2006.

RESENDE, Thiago. Comissão estuda mudanças nas regras do visto de trabalho para estrangeiros. Valor Econômico, 12 fev. 2013.

SAES, Décio. A formação do estado burguês no Brasil (1888-1891). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

SEYFERTH, Giralda. A assimilação dos imigrantes como questão nacional. Mana, v. 3, n. 1, p. 95-131, 1997.

VAINER, Carlos B. Estado e migração no Brasil: da imigração à emigração. In: PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS NO BRASIL CONTEMPORÂNEO. Emigração e imigração internacionais no Brasil contemporâneo.

Campinas: FNUAP, 1996, v. 1.

VILLEN, Patricia. Mulheres na imigração qualificada e de baixa qualificação: uma modalidade da divisão sexual do trabalho no Brasil. Artigo aprovado pelo VII Congresso Latino-Americano de Estudos do Trabalho, São Paulo, 2-5 jul. 2013.

____. A nova configuração da imigração no Brasil sob a ótica do trabalho. In: ANTUNES, Ricardo. Riqueza e miséria do trabalho no Brasil. São Paulo: Boitempo, no prelo, v. III.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Contatos

RURIS - Revista do Centro de Estudos Rurais
Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - UNICAMP.
Rua Cora coralina s/n°
Cidade Universitária "Zeferino Vaz"
13083-896 Campinas-SP BRASIL.
Tel.: + 55 19 3521-1636

e-mail: ruris@feagri.unicamp.br