Recordações de um fragmento da história da imigração japonesa no Brasil

  • Fábio Kazuo Ocada Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP

Resumo

O presente artigo propõe investigar um fragmento específico da história da imigração japonesa para o Brasil, qual seja, as relações de trabalho durante o período que antecedeu o desfecho da Segunda Guerra Mundial. Para esse fim, mediante o auxílio da história oral enquanto metodologia de pesquisa e dos pressupostos do materialismo histórico como fundamento teórico, buscou-se analisar os relatos de experiências rememoradas por um grupo de mulheres idosas dessa comunidade de imigrantes colonos, que participaram do trabalho tanto na cafeicultura paulista, nas primeiras décadas do século XX, quanto no plantio do algodão, a partir da década de 1930.

Biografia do Autor

Fábio Kazuo Ocada, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP
Doutor em Sociologia. Docente do Departamento de Sociologia e Antropologia da Faculdade de Filosofia e Ciências da Unesp, Campus de Marília, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da FFC–Unesp.

Referências

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BORGES, M. Reunidas/Dinízia: história e tramas da memória. In: SILVA, M. A. M.; SILVA, Araraquara: Faculdade de Ciências e Letras, Unesp, Campus de Araraquara, 1995, p. 51-88.

BOSI, E. Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

ENNES, M. A. A construção de uma identidade inacabada: nipobrasileiros no interior do estado de São Paulo. São Paulo: Editora da Unesp, 2001.

HANDA, T. Memórias de um imigrante japonês no Brasil. São Paulo: T. A. Queiroz, Centro de Estudos Nipo-Brasileiros, 1980.

HATANAKA, M. O processo judicial da shindo-remmei: um fragmento da história dos imigrantes japoneses no Brasil. São Paulo: Fundação Japão, 2002.

MARTINS, J. de S. O cativeiro da terra. São Paulo: Hucitec, 2004.

MARX, K. O capital. São Paulo: Nova Cultural, 1985, v. 1.

MENDONÇA, M. Trilha forrada de folhas: Nenpuko Sato, um mestre de haikai no Brasil. São Paulo: Ciências do Ocidente, 1999.

PERROT, M. Práticas da memória feminina: a mulher e o espaço público. Revista Brasileira de História, Órgão da

Associação Nacional de Professores de História, São Paulo, v. 9, n. 18, p. 9-18, ago.-set. 1989.

QUEIROZ, M. Variações sobre técnica de gravador no registro da informação viva. São Paulo: Ceru, FFLCH/USP, 1983 (Coleção Textos, 4).

SAKURAI, C. Romanceiro da imigração japonesa. São Paulo: Sumaré, 1993.

____. Imigração tutelada: os japoneses no Brasil. 2000. Tese (Doutorado em Antropologia) – Unicamp, Campinas.

SEYFERTH, G. Identidade étnica, assimilação e cidadania: a imigração alemã e o Estado brasileiro. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 26, p. 103-122, out. 1994.

VAINER, C. Estado e migração no Brasil: da imigração à emigração. In: PATARRA, N. (Coord.). Emigração e imigração internacionais no Brasil contemporâneo, 2a ed. São Paulo:FNUAP, 1995, v. 1, p. 39-52.S. A. I. (Orgs.).

VIEIRA, F. O japonês na frente de expansão paulista: o processo de absorção do japonês em Marília. São Paulo: Pioneira, 1973.

YOSHIOKA, R. Por que migramos do e para o Japão. São Paulo: Massao Ohno, 1995.

Como Citar
Ocada, F. K. (1). Recordações de um fragmento da história da imigração japonesa no Brasil. RURIS - Revista Do Centro De Estudos Rurais - UNICAMP, 6(1). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ruris/article/view/1559
Seção
Seção Temática - Migrações