Um relato afetivo e intelectual dos anos iniciais

  • Alessandra Traldi Universidade Estadual de Campinas
  • Carla Delgado Universidade Estadual de Londrina
  • Luisa Pessoa
  • Ilana Seltzer Goldstein Universidade Federal de São Paulo
  • Rodrigo Charafeddine Bulamah Universidade Federal de São Paulo
Palavras-chave: 10 anos

Resumo

A PROA completa dez anos de publicações e nesse texto alguns dos fundadores falam sobre os primeiros anos da revista.

Biografia do Autor

Alessandra Traldi, Universidade Estadual de Campinas

Graduada em Ciências Sociais, com habilitação em Antropologia, e mestra em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Tem interesse e atua nos seguintes temas: Demografia Antropológica, Demografia de etnias, produção de informações demográficas sobre povos indígenas, indicadores socioambientais educação escolar indígena e patrimônio cultural indígena. É membro do CPEI (Centro de Pesquisa em Etnologia Indígena (IFCH/Unicamp). Doutoranda do Programa de Demografia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Carla Delgado, Universidade Estadual de Londrina

Possui graduação em Ciências Sociais (licenciatura e bacharelado) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (2002), mestrado em Ciência Social (Antropologia Social) pela Universidade de São Paulo - USP (2006) e doutorado em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2011), com período sanduíche no Departamento de Musicologia da University of British Columbia - UBC (Canadá). É professora adjunta do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e autora do livro: Gilberto Mendes: entre a vida e a arte (FAPESP/UNICAMP, 2013). Tem experiência em estudos de teoria antropológica e em realização de trabalho de campo, interessando-se pelas discussões sobre música, arte, cultura imaterial, performance, biografia e escrita etnográfica. (Fonte: Currículo Lattes)

Luisa Pessoa

Mestra em Antropologia Social e Bacharel em Ciências Sociais pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Unicamp. 

Ilana Seltzer Goldstein, Universidade Federal de São Paulo

Mestre em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo, Mestre em Mediação Cultural pela Universidade Paris 3 - Sorbonne Nouvelle e Doutora em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas. Docente no Departamento de História da Arte da Universidade Federal de São Paulo - Unifesp, sendo responsável pelas disciplinas História da Arte Ameríndia e Antropologia e Arte. Membro do Programa de Pós-Graduação em História da Arte e integrante do grupo do CNPq "Todas as Artes | Todos os Nomes: Pesquisas sobre Arte na Contemporaneidade". Atuou como assessora cultural na Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unifesp de 2015 a 2017. Foi vice-chefe de Departamento em 2017 e 2018. Desde 2016, é co-coordenadora da Cátedra Kaapora, voltada à valorização de conhecimentos e formas expressivas tradicionais e não-hegemônicos. A partir de maio de 2019, é membro do Conselho Administrativo do Fórum Permanente de Museus. Anteriormente, foi coordenadora e professora no MBA Gestão de bens Culturais, da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP) de 2008 a 2013, e docente na Pós-graduação lato sensu Gestão cultural: cultura, desenvolvimento e mercado, do Centro Universitário SENAC, entre 2011 e 2013. Paralelamente à trajetória acadêmica, elaborou, coordenou e avaliou projetos artístico-culturais junto a diversas organizações, como Sescoop, Itaú Cultural, Companhia das Letras e Ministério da Cultura. Participou das curadorias das exposições Terra Paulista: História, Arte e Costumes (Sesc Pompeia, 2005); Jorge, amado, universal? (Museu da Língua Portuguesa e Museu de Arte Moderna da Bahia, 2012); Tempo dos Sonhos: a arte aborígene contemporânea da Austrália (Caixa Cultural, 2016, 2017 e 2018; Casa Fiat de Cultura, 2017). Foi uma das fundadoras da Proa - revista de Antropologia e Arte. Temas de interesse: antropologia e arte, exposição e comercialização de artes indígenas, sociologia da arte, gestão cultural, políticas culturais, representações da identidade nacional, diversidade cultural, patrimônio cultural. (Fonte: Currículo Lattes)

Rodrigo Charafeddine Bulamah, Universidade Federal de São Paulo

Possui graduação em Ciências Socias e mestrado em Antropologia Social ambos pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). É doutor em Antropologia Social e Etnologia em uma co-tutela entre a Unicamp e a École des Hautes Études en Sciences Sociales (França). Atualmente faz pós-doutorado no Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e é pesquisador colaborador do Centro de Estudos Rurais (CERES) e do Centro de Estudos de Migrações Internacionais (CEMI), ambos da Unicamp. Interessa-se pelas áreas de antropologia da história, materialidades, afetos, ecologia e parentesco e fez trabalho de campo no Haiti e na República Dominicana. Atua principalmente com os seguintes temas: Caribe, ecologia política, políticas de patrimônio e produção da história, campesinato e história da escravidão e dos processos de revolta e emancipação. Foi pesquisador visitante da Duke University, da Rice University e da EHESS. Atuou como membro do comitê editorial da Proa: revista de antropologia e arte (2009-2014) e do comitê organizativo da Food, Agriculture and Rural Studies Section da Latin American Studies Association (LASA; 2014-2016). (Fonte: Currículo Lattes)

Referências

PROA
Publicado
2019-12-15
Como Citar
Traldi, A., Delgado, C., Pessoa, L., Goldstein, I. S., & Bulamah, R. C. (2019). Um relato afetivo e intelectual dos anos iniciais. PROA Revista De Antropologia E Arte, 2(9), 09 - 12. Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/proa/article/view/3923
Seção
Apresentação

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##