“O Som dos Sinos” - Uma experiência com o uso de novas mídias para promoção do patrimônio imaterial

  • Marcia Mansur
  • Marina Thomé

Resumo

Em 2009, o Toque dos Sinos e o Ofício de Sineiro foram registrados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como Patrimônios Culturais Imateriais Brasileiros. O registro é fruto de um inventário que mapeia, em 9 cidades de Minas Gerais, mais de 40 tipos de toques de sinos, que formam uma linguagem sonora através da qual moradores das cidades de Minas Gerais se comunicavam, sobretudo, entre os séculos XVII e XIX. Havia toques de sinos distintos para anunciar o falecimento de homem, de mulher ou de  criança; outros toques identificavam missas, procissões, festas, incêndios, partos. Os toques dos sinos são uma forma de comunicação não-verbal, que trazem em si significados diversos, constituídos das memórias e histórias dos habitantes da região. Os sineiros, responsáveis por tocar os sinos, transmitem o conhecimento dos toques, badaladas, ritmo e harmonia para as novas gerações no contexto da tradição oral/aural. Ensina-se e aprende-se através de observação, escuta e prática, no alto das torres, durante as festividades, nos dias de missa – mas apenas nas horas propícias de se tocar o sino. 

O projeto transmídia “O Som dos Sinos” nasceu do objetivo de experimentar o uso da linguagem documental aliado às novas mídias para promoção do patrimônio imaterial. Nossa proposta era pensar maneiras de utilizar o documentário e as práticas da antropologia visual em conjunção com novas tecnologias, design e interatividade. Queríamos trabalhar com webdocumentário, plataformas online multimídia e geolocalização como estruturas audiovisuais interativas de sensibilização tanto com foco nas novas gerações como para as comunidades locais, turistas e audiência internacional. Assim, o desenvolvimento do projeto tinha como objetivos desenhar estratégias transmídia de valorização do patrimônio cultural imaterial. 

Na página da PROA publicamos o vídeo “Sinfonia de Sinos”, disponível no canal do Youtube do projeto: https://youtu.be/ZOvrS8KLg04

[Este filme é vencedor do II Prêmio Mariza Correa de Antropologia Visual e é publicado em parceria com as Jornadas de Antropologia John Monteiro de 2018]

Biografia do Autor

Marcia Mansur

Doutoranda em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas 

Publicado
2019-07-15