O trançado das casas

um estudo sobre os grafismos indígenas aplicados às construções nas aldeias Guarani Mbya do município de São Paulo

  • Bruna Keese dos Santos Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Manifestações gráficas indígenas, Grafismos guarani mbya, Ajaka para, Linguagem visual

Resumo

Este artigo apresenta um levantamento de manifestações gráficas guarani mbya aplicadas a construções em aldeias da cidade de São Paulo. Procura-se identificar de que maneira os padrões tradicionalmente utilizados na produção da cestaria (ajaka) são transpostos para outros suportes, evidenciando sua relevância na produção de diferenciação em meio ao diálogo das aldeias com o seu entorno e dos Guarani com o mundo não-indígena. O levantamento, realizado em quatro aldeias do município, buscou elencar aspectos processuais e formais de tais manifestações, revelando como a linguagem visual empregada tradicionalmente no artesanato passa por processos que reiteram o uso de variações composicionais e as relações entre os elementos plásticos e gráficos.

Biografia do Autor

Bruna Keese dos Santos, Universidade de São Paulo

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (2014) e é mestranda na mesma instituição (2017-2019). Atua nos campos da comunicação visual, sinalização e expografia em projetos relacionados à cultura. Tem experiência nas áreas de comunicação visual, linguagem gráfica e teoria da arquitetura.

Publicado
2019-12-15
Como Citar
Keese dos Santos, B. (2019). O trançado das casas. PROA Revista De Antropologia E Arte, 2(9), 96 - 114. Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/proa/article/view/3293