Viva a diferença

estratégias de agenciamento da cultura popular no Pavilhão das Culturas Brasileiras

  • Yasmin Fabris Universidade Federal do Paraná
  • Ronaldo de Oliveira Corrêa Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Cultura Popular, Cultura material, Exposição, Pavilhão das Culturas Brasileiras

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar uma discussão sobre as estratégias de agenciamento da cultura material popular em uma exposição. Para isso, analisamos um trecho da mostra Puras Misturas, que ficou em cartaz de abril a setembro de 2010 no Pavilhão das Culturas Brasileiras, onde foram expostos bancos produzidos em diferentes contextos – hegemônicos e subalternos - no Brasil. Como estratégia metodológica, realizamos o cruzamento entre a materialidade da mostra, acessada por meio do seu projeto expográfico, com as narrativas das curadoras que idealizaram a exposição. Por fim, demonstramos que os modos de apresentar os artefatos populares na Puras Misturas estruturaram argumentos que acabaram por tensionar os discursos previstos para a arena expositiva

Biografia do Autor

Yasmin Fabris, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda em Design pela Universidade Federal do Paraná e Doutoranda em regime de cotutela em Ciências Sociais na Universidade do Chile. Mestre em Tecnologia e Sociedade pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, na linha de pesquisa Mediações e Culturas. Participa do grupo de pesquisa Design e Cultura (UTFPR). É integrante do Grupo de Estudos Discursivos em Arte e Design da UFPR e do Núcleo de Sociologia da Arte y las Prácticas Culturales da Universidad de Chile Possui graduação em Bacharelado em Design pela UTFPR, com habilitação em design gráfico e de produto. Realiza pesquisa sobre as seguintes temáticas: design e cultura, cultura popular, cultura material, arte popular, história do design e memória e patrimônio.

Ronaldo de Oliveira Corrêa, Universidade Federal do Paraná
Doutor pelo PPGICH/UFSC (2008), Mestre pelo PPGTE/UTFPR (2003). Tem Pós-doutorado na área de Antropologia pela UFRGS (2013). Atualmente é professor na UFPR, onde atua na graduação e pós-graduação.

Referências

BORGES, Adélia. Caleidoscópio. In: BORGES, Adélia; BARRETO, Cristiana. O Pavilhão das Culturas Brasileiras: Puras Misturas. São Paulo: Editora Terceiro Nome. 2010

BORGES, Adelia; BARRETO, Cristiana (orgs.). Pavilhão das Culturas Brasileiras: Puras misturas. São Paulo, Editora Terceiro Nome, 2010.

BORGES COMUNICAÇÃO LTDA. Pré-projeto de uso cultural do Edifício Pavilhão Armando Arruda Pereira. Parque Ibirapuera, São Paulo. Relatório Final. São Paulo, 2008.

BORGES COMUNICAÇÃO LTDA. Conteúdo da exposição de lançamento da nova instituição. "A mão do povo". São Paulo: Secretaria Municipal de Cultura, 2008?.

BORGES, Adélia. Entrevista concedida. Novembro de 2015. São Paulo.

BARRETO, Cristina. Entrevista concedida. Novembro de 2015. São Paulo.

CARDOSO, Maurício. O Cinema Tricontinental de Glauber Rocha: política, estética e revolução (1969-1974). 2007. Tese (Doutorado em História Social) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

GARCÍA CANCLINI, Néstor. As culturas populares no capitalismo. São Paulo: Brasiliense, 1983.

GELL, Alfred. Arte e agência. Ubu Editora, 2018.

KOPYTOFF, Igor. The cultural biography of things: commoditization as process. The social life of things: Commodities in cultural perspective, v. 68, p. 70-73, 1986.

MENESES, Ulpiano T. B. de. A cultura material no estudo das sociedades antigas. Revista de História, São Paulo, n. 115, p. 103-117, 1983.

MENDES, Mariuze Dunajski. Cultura Material e Design: trajetórias sociais de artefatos em contextos materiais e culturais de produção, circulação e consumo. In: Queluz, Marilda L. P. (org.). Design & Cultura Material. Curitiba: Editora UTFPR, 2012. p. 15-33.

RAMOS, Francisco Régis Lopes Ramos. A danação do objeto: O museu no ensino de História. Chapecó: Argos, 2008.

Publicado
2019-12-15
Como Citar
Fabris, Y., & Corrêa, R. de O. (2019). Viva a diferença. PROA Revista De Antropologia E Arte, 2(9), 115 - 137. Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/proa/article/view/3292