Imagem para capa

Música, agência e força no Terecô em Codó (Maranhão)

Marcos Carvalho Lamy, Martina Ahlert

Resumo


O texto discorre sobre a música no Terecô na cidade de Codó, a partir de uma pesquisa etnográfica. Terecô é uma religião afro-brasileira na qual são recebidos encantados e que se organiza em tendas. As tendas realizam festejos onde a música ritual tem papel fundamental. No artigo descrevemos esses rituais, enfatizando a música tocada, as técnicas utilizadas pelos músicos, o papel desempenhado pela criatividade e pelo improviso. Consideramos a música para pensar a agência dos encantados e também a relação entre pessoas e entidades. Concluímos sobre a importância da música e dos músicos para a manutenção e modulação da força, elemento central da religião.


Music, acting and force in Terecô in Codó (Maranhão)

 ABSTRACT

The text talks about music in Terecô in the city of Codó, from an ethnographic research. Terecô is an Afro-Brazilian religion in which the enchanted are received, and which is organized in tents. The tents perform celebrations where ritual music has a fundamental role. In the present paper we describe these rituals, highlighting the music played, the techniques used by the musicians, the role performed by creativity and improvisation. We considered music to think the acting of the enchanted and also the relation between people and entities. We conclude about the importance of music and musicians for the maintenance and modulation of force, a central element of that religion.

 Keywords: Music. Acting. Ethnography. Terecô.


Palavras-chave


música; agência; etnografia; Terecô; Maranhão

Texto completo:

PDF

Referências


AHLERT, Martina. Cidade Relicário: uma etnografia sobre terecô, precisão e Encantaria em Codó (Maranhão). Tese (Doutorado em Antropologia Social) Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, Universidade de Brasília, 2013.

BARBOSA NETO, Edgar. A geometria do axé: o sincretismo como topologia. Trabalho apresentado na XI Reunião de Antropologia do Mercosul. Montevidéu, 2015.

BARROS, Sulivan Charles. Encantaria de Bárbara Soeira: a construção do imaginário do medo em Codó – MA. 2000. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-graduação em Sociologia, Universidade de Brasília, Brasília. 2000.

BLAKING, John. How musical is man? University of Washington Press, 1974.

CRUZ, Bárbara Pimentel da Silva. Confluências e Transfluências no Terecô, religião de matriz africana de Codó, Maranhão. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-graduação em Antropologia Social. Museu Nacional. Rio de Janeiro, 2018.

ESPÍRITO SANTO, Diana. Parcialidade e materialidade: a distribuição do ser e do saber no espiritismo cubano. In: CUNHA, Maria Olívia Gomes da. Outras ilhas: temporalidades e transformações em Cuba. Rio de Janeiro: Aeroplano e FAPERJ, 2010. p. 493-548.

FERRETTI, Mundicarmo Maria Rocha. Desceu na Guma: o caboclo do Tambor de Mina em um terreiro de São Luís – a Casa Fanti-Ashanti. 2.ed. São Luís: EDUFMA, 2000.

FERRETTI, Mundicarmo Maria Rocha. Encantaria de “Barba Soeira”: Codó, capital da magia negra? São Paulo: Ed Siciliano, 2001.

GOLDMAN, Márcio. A possessão e a construção ritual da pessoa no Candomblé. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 1984.

INGOLD, Tim. Making, Growing, learning – two lectures presented at UFMG, Belo Horizonte. Educação em Revista. Belo Horizonte. v.29, n.03, p.297-324, set. 2013.

JACOB, Mingo. Método Básico de Percussão: Universo rítmico. São Paulo: Irmãos Vitale, 2003.

LAMY, Marcos Carvalho. Criatividade e força na música do terecô de Codó. Monografia (Graduação). Curso de Ciências Sociais. Universidade Federal do Maranhão. São Luís, 2016.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social. Salvador: Edufba, 2012.

__________. Políticas da natureza. Como fazer ciência na democracia. Bauru, SP: EDUSC, 2004.

LEACH, James. Creativity, Subjectivity and the Dynamic of Possessive Individualism. In HALLAM, Elizabeth. INGOLD, Tim (eds.). Creativity and Cultural Improvisation. Berg, 2007.

LÉVY-BRUHL. Lucien. A mentalidade primitiva. São Paulo: Paulus, 2008.

LIMA, Conceição de Maria Teixeira. Relações cruzadas: uma etnografia sobre vínculos entre pessoas e encantados no terecô de Codó – Maranhão. Monografia (Graduação). Curso de Ciências Sociais. Universidade Federal do Maranhão. São Luís, 2017.

MAUSS, Marcel. Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2003.

PEIRANO, Mariza (org.). O dito e o feito. Ensaios de antropologia dos rituais. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

RABELO, Miriam C. M. Enredos, feituras e modos de cuidado: dimensões da vida e da convivência no candomblé. Salvador: EDUFBA, 2014.

SCHECHNER, Richard. O que é performance? In: Performance Studies: an Introduccion. New York & London: Routledge, 2006. p.28-51.

SEEGER, Anthony. Porque cantam os Kĩsêdjê: uma antropologia musical de um povo amazônico. São Paulo: Cosac Naify, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Martina Ahlert, Marcos Carvalho Lamy

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/br/

PROA: Revista de antropologia e arte. IFCH-UNICAMP, Campinas. ISSN:2175-6015.  Conteúdos licenciados em CC BY.

Indexadores: Latindex / DOAJ / CAPES / Sumários