Palhaços de folias de reis e a continuidade geracional dos rituais

  • Ana Paula Santos Horta
  • Bruna Carvalho

Resumo

No universo de materialidades das folias de reis, entre chapéus enfeitados de fitas, coloridas vestimentas, instrumentos musicais e bandeira sagrada, as máscaras usadas pelos palhaços ocupam lugar de expressiva beleza e ambiguidade. O presente ensaio audiovisual tenta demonstrar que há um compromisso geracional envolvendo essa figura. Reunimos imagens de mascarados de várias idades: crianças, adolescentes, jovens, homens em idade adulta e idosos. A ideia é mostrar como essa figura singular tem exercido importante papel na peretuação do ritual, uma vez que há um compromisso assegurado de geração em geração.

Biografia do Autor

Ana Paula Santos Horta
Graduada em História pela Universidade de São Paulo (USP), possui mestrado em História Social também pela USP (2011). Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (FCLAR/UNESP), a pesquisadora busca analisar o fenômeno da espetacularização de rituais em festas populares católicas realizadas em Goiás, Minas Gerais e São Paulo. Tem experiência na área de História do Brasil e Antropologia Social, tendo atuado principalmente em pesquisas junto a Folias de Reis em Minas Gerais. Docente na Libertas Faculdades Integradas.
Bruna Carvalho
Educadora física, arte educadora e documentarista com trabalhos focados em expressão corporal, audiovisual e registro da memória de culturas populares
Publicado
2018-12-15
Como Citar
Horta, A. P. S., & Carvalho, B. (2018). Palhaços de folias de reis e a continuidade geracional dos rituais. PROA Revista De Antropologia E Arte, 2(8), 109-119. Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/proa/article/view/3118