Prestígio, arte e leilão na festa do santo padroeiro

Carlos Eduardo Machado

Resumo


O artigo explora os sentidos e as relações de prestígio em Borá, interior do Estado de São Paulo, a partir da etnografia realizada na festa de Santo Antônio, santo padroeiro homenageado desde o início do povoamento pelas famílias pioneiras. Os descendentes desses pioneiros são protagonistas na organização da festa e se orgulham da tradição do preparo das leitoas e do prestígio que atrai as elites locais. Se os “ricos” se interessam pelos leilões, os pobres e os arrastados (categoria nativa aplicada aos trabalhadores da usina de cana-de-açúcar) querem tentar a “sorte” no sorteio das leitoas (ou esperar que a sorte os “encontrem”), “curtir a festa”, conhecer mulheres e apreciar o “movimento” na pequena cidade. Considerando o papel de “festeiro”, a valorização das habilidades e técnicas na arte do preparo das leitoas, os marcadores de classe e experiências de lazer, busca-se pensar as diversas artes sociais e suas tramas no mundo das festas.

Apresentação em vídeo: https://youtu.be/8m924Kd34_E

 

ABSTRACT

 The article explores the senses and relations of prestige in Borá, in the interior of the state of São Paulo, based on the ethnography held at the feast of Saint Anthony, a patron saint honored since the beginning of the settlement by the pioneer families. The descendants of these pioneers are organization’s protagonists and are proud about the tradition of preparing the piglet and the prestige the attracts the local elites. If the "rich" are interested in the auctions, the poor and the arrastados (category to call the sugar cane workers) want to try "luck" in the lottery (or wait for it to be found), "enjoy the party", meet women and enjoy the" movement "in the small town. Considering the role of the “party-goer”, the valuation of skills and techniques on the art of preparation the piglet and also by class markers and leisure experiences, it is sought to reflect on the various social arts and their facets in the world of the feast.

Keywords: Feast. Tradition. Tecnic. Class. Luk.


Palavras-chave


Festa; Tradição; Técnica; Classe; Sorte

Texto completo:

PDF

Referências


APPADURAI, Arjun. The past as a scarce resource man. The Journal of the Royal Anthropological Institute, 16: 201-219, 1981. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2018.

BEIER, José R. Sertão desconhecido? A representação do “Oeste paulista” no mappa Chorographico da Província de São Paulo (1841). Tempos Históricos, V. 18, 2º Sem., p. 457-490, 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2018.

BRAGA, Antônio Mendes da Costa. Padre Cícero: sociologia de um padre, antropologia de um santo. Bauru: Edusc, 2008.

BRANDÃO, Carlos R. A partilha da vida. São Paulo: Geic/Cabral Editora, 1995.

BRANDÃO, Felipe V. G. “Vinil é assim, é sorte”: colecionismo, garimpo e obscuridade no mundo do vinil. Mestrado em Antropologia Social, Universidade de Brasília – UnB, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2018.

BOURDIEU, Pierre. A identidade e a representação. Elementos para uma reflexão crítica sobre a ideia de região. In: O poder simbólico. Lisboa: Difel; Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

________. El baile de los solteros. Barcelona: Editora Anagrama, S. A., 2004.

CAVALCANTI, Maria Laura V. C. As grandes festas. In: SOUZA, M. de.; WEFFORT, F. (Orgs). Um Olhar sobre a cultura brasileira. Rio de Janeiro: FUNARTE/Ministério da Cultura, 1998.

DAMATTA, Roberto; SOÁREZ, Elena. Águias, burros e borboletas: um estudo antropológico do jogo do bicho. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

DANTAS, Maria I. Doce dádiva: a Festa do Chouriço. In. GODOI, E. P.; MENEZES, M. A. de; MARIN, R. A. (Orgs.). Diversidade do campesinato: expressões e categorias: construções identitárias e sociabilidades. V. 1. São Paulo: Editora UNESP; Brasília, DF: Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural, 2009. Disponível em: http://www.reformaagrariaemdados.org.br/sites/default/files/Hist%C3%B3ria%20social%20do%20campesinato%20no%20Brasil%20-%20Diversidade%20do%20Campesinato%20-%20v.%201.pdf>. Acesso em: 15 de abr. 2018.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

FRANÇA, Isadora L. Consumindo lugares, consumindo nos lugares: homossexualidade, consumo e subjetividades na cidade de São Paulo. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012.

GALVÃO, Eduardo. Santos e Visagens. Um estudo da vida religiosa em Itá, Amazonas. Companhia Editora Nacional: São Paulo, 1955.

GONÇALVES, Helen; KNAUTH, Daniela R. Aproveitar a vida, juventude e gravidez. Revista de Antropologia, São Paulo, USP, v. 49, n. 2, pp. 625-646, 2006. Disponível em: . Acesso em: 15 de abr. 2018.

HEREDIA, Beatriz; PALMEIRA, Moacir; LEITE, Sérgio P. Sociedade e economia do agronegócio no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v 25, n74, p. 159-195. Out. 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2017.

INGOLD, Tim. Estar vivo. Ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2015.

LANNA, Marcos. A dívida divina: troca e patronagem no Nordeste brasileiro. Campinas: Editora da UNICAMP, 1995.

LEITE LOPES, José Sérgio. O vapor do diabo: o trabalho dos operários do açúcar. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

LIMA, Antónia Pedroso de. Intencionalidade, afecto e distinção: escolhas de nomes em famílias de elite de Lisboa. In: PINA CABRAL, J. de; VEIGAS, S. de M. (Orgs.). Nomes: gênero, etnicidade e família. Coimbra: Almedina, 2007.

LONER, Beatriz A. A Loteria do Ipiranga e os trabalhadores: um sonho de liberdade no final do século XIX. História (São Paulo) v. 33, n. 1., p. 195-233, jan./jun., 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2018.

MACIEL, Lidiane M. Entre o rural e o urbano: processos migratórios de trabalhadores rurais do Alto Médio Canindé piauiense para região central do Estado de São Paulo. Doutorado em Sociologia, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2018.

MACHADO, Carlos Eduardo. Os santos de casa: um estudo sobre família, comunidade e religião no menor município brasileiro. Ciencias Sociales y Religion/Ciências Sociais e Religião, Porto Alegre, año 15, n. 19, p. 89-107, jul./dic., 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2018.

________. O passado como recurso: sociabilidade, autoridade e memória no Centro-Oeste paulista. Revista Aurora - Dossiê Migração, Gênero e Memória. V. 9, n. 01, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2018.

________. Pertencimento e mudança: um estudo sobre temporalidades em um pequeno município brasileiro. Mestrado em Ciências Sociais, Universidade Estadual Paulista – UNESP/Marília, 2017. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2018.

MARCONATO, Valdirene. Borá: fragmentos do recanto. Trabalho de conclusão em Comunicação Social - Jornalismo, Universidade de Marília - UNIMAR, 1997.

MARQUES, Ana Claudia. Pioneiros de Mato Grosso e Pernambuco: novos e velhos capítulos da colonização no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, Vol. 28, nº 83, pp. 85-103, out., 2013. Disponível em: . Acesso em: 08 abr. 2018.

MAUSS, Marcel. Estética. In: Manual de etnografia. 1ª ed. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2006.

________. Uma categoria do espírito humano: a noção de pessoa, a de “Eu”. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2003.

________. SCHLANGER, Nathan. (Org.). Techiniques, technology and civilization. Brooklyn, NY: Berghahn Booksschlanger, 2006.

Uma categoria do espírito humano: a noção de pessoa, a de “Eu”. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2003.

MORALES, Lúcia A. Vai e vem, vira e volta: as rotas dos soldados da borracha. São Paulo: Annablume; Fortaleza: Secult, 2002.

ORTNER, Sherry. Poder e projetos: reflexões sobre a agência. In: GROSSI, M. P.; ECKERT, C.; FRY, P. H. (Orgs). Conferências e Diálogos: saberes e práticas antropológicas. Blumenau: Nova Letra, 2007. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2018.

PALMEIRA, Moacir. Casa e trabalho: notas sobre as relações sociais no plantation tradicional (1977). In: WELCH, C.; MALAGODI, E.; CAVALCANTI, J. S. B.; WANDERLWY, M. de N. B. (Orgs.). Camponeses brasileiros: leituras e interpretações clássicas. V 1. São Paulo: Editora UNESP; Brasília, DF: Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural, 2009. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2018.

PIERSON, Donald. Cruz das Almas. Rio de Janeiro: Editora: Jose Olympio, 1966.

PINA CABRAL, João de.; VIEGAS, Susana de M. Nomes e ética: uma introdução ao debate. In: PINA CABRAL, J. de; VEIGAS, S. de M. (Orgs.). Nomes: gênero, etnicidade e família. Coimbra: Almedina, 2007.

PIRES, Flávia. Os filhos-ausentes e as penosas de São Sebastiãozinho. Etnografia da Festa da Catingueira/PB. Mestrado em Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro – PPGAS/MN/UFRJ, 2003. Disponível em: Acesso em: 10 abr. 2018.

________. A Festa de São Sebastião em Catingueira: transformações e permanências dez anos depois. Revista de Antropologia, São Paulo, USP, v. 54, nº 2, p. 1051-1076, 2011. Disponível em:. Acesso em: 15 de abr. 2018.

QUEIROZ, Maria Isaura P. de. Bairro rurais paulistas: dinâmica das relações rural-cidade. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1973.

RIBEIRO NETO, Caio P. Formação Política do Agronegócio. Doutorado em Antropologia Social, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, 2018. Disponível em:. Acesso em: 13 de abr. 2018.

SANCHIS, Pierre. Arraial: festa de um povo. As romarias portuguesas. 2ª Ed. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

________. O campo religioso contemporâneo no Brasil. In: Globalização e religião. ORO, A. P.; STEIL, C. A. (Org.). 2ª edição. Editora Vozes, 1999.

________. As religiões dos brasileiros. Horizonte (PUC-Minas), Belo Horizonte, v. 1, n. 2, p. 28-43, 2º sem. 1997. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2018.

________. Cultura brasileira e religião... passado e atualidade... Cadernos CERU, série 2, vol. 19, n. 2, p. 71-92, dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2018.

________. Desponta novo ator no campo religioso brasileiro? O Padre Cícero Romão Batista. Religião & Sociedade, vol.27, n.2, p.11-29. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2018.

SIMMEL, Georg. O estrangeiro. In: MORAES FILHO, E. (Org.). Simmel. São Paulo: Editora Ática, 1983.

TEIXEIRA, Rafael H. A perda e o medo: História e imaginário em um universo social em transformação. Mestrado em Antropologia Social, Universidade de São Paulo - USP, 2007. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2018.

TEIXEIRA, Sérgio A. Os recados das festas: representações e poder no Brasil. Rio de Janeiro: Funarte, 1988.

WACQUANT, Loïc. Corpo e Alma: notas etnográficas de um aprendiz de boxe. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

WAGLEY, Charles. Uma comunidade amazônica. Estudo do homem nos trópicos. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1977.

WILLEMS, Emílio. Uma vila brasileira: tradição e transição. São Paulo: Difel, 1961.

ZALUAR, Alba. Os homens de Deus: um estudo dos santos e das festas no catolicismo popular. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1983.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Carlos Eduardo Machado

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/br/

PROA: Revista de antropologia e arte. IFCH-UNICAMP, Campinas. ISSN:2175-6015.  Conteúdos licenciados em CC BY.

Indexadores: Latindex / DOAJ / CAPES / Sumários