Máscaras, memória e mudança no Portugal contemporâneo

  • Maria Manuela Restivo Universidade do Porto
  • Luciano Moreira Universidade do Porto
Palavras-chave: Máscara, Festa, Memória, Mudança, Fotografia

Resumo

Em território português, as festas que envolvem máscaras “locais” ou “tradicionais” têm vindo a crescer nos útlimos anos, integrando-se progressivamente em novos circuitos turísticos e patrimoniais. Neste ensaio visual, procurámos dar a ver alguns momentos dessas festas, com foco no processo de celebração, contribuindo para pensar a posição peculiar em que elas se encontram no mundo contemporâneo: entre a reprodução dos patrimónios herdados e a sua (re)invenção.

Biografia do Autor

Maria Manuela Restivo, Universidade do Porto

É formada em Antropologia (licenciatura e mestrado) pela Universidade de Coimbra e em Museologia (mestrado) pela Universidade do Porto. Estagiou no Museu da Quinta de Santiago (Matosinhos), e no Palácio Nacional da Pena (Sintra), tendo colaborado com a galeria Cruzes
Canhoto entre 2016 e 2018. Presentemente desenvolve a sua tese de doutoramento na área das exposições de arte popular portuguesa. Desenvolve projetos e exposições na interseção das ciências sociais com as práticas artísticas, através do coletivo “alhures”.

Luciano Moreira, Universidade do Porto

Mestre em Psicologia

CIQUP, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Referências

GODINHO, Paula. Máscaras Transmontanas em quatro tempos. In: GODINHO, Paula (Org). Máscaras, Mistérios e Segredos. Lisboa: Edições Colibri, 2011, p. 53-68.

PEREIRA, Benjamim. (Coord.). Rituais de Inverno com Máscaras. Bragança: Museu Abade de Baçal, 2001.

RAPOSO, Paulo. Caretos de Podence: um espetáculo de reinvenção cultural. In PEREIRA, Benjamim (Coord.). Rituais de Inverno com Máscaras. Bragança: Museu Abade de Baçal, 2001, p. 75-99.

Publicado
2019-07-15
Como Citar
Restivo, M. M., & Moreira, L. (2019). Máscaras, memória e mudança no Portugal contemporâneo. PROA Revista De Antropologia E Arte, 1(9), 151-156. Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/proa/article/view/3103