Funkeiras e hip hoppers, mulheres artistas em movimento

  • Izabela Nalio Ramos Universidade de São Paulo

Resumo

Relato de pesquisa de campo.

Referências

CAETANO, Mariana Gomes. My Pussy é o Poder:

representação feminina através do funk: identidade,

feminismo e indústria cultural. Dissertação de mestrado

apresentada ao Programa de Cultura e Territorialidades,

Universidade Federal Fluminense, 2015.

COLLINS, Patricia Hill. Toward a politics of empowerment.

In: Black Feminist Thought, 2000, Routledge.

PEREIRA, Alexandre Barbosa. Funk ostentação em São

Paulo: imaginação, consumo e novas tecnologias da

informação e da comunicação. Dossiê sobre cultura

popular urbana. In: Revista de Estudos Culturais. São

Paulo, 2014.

RAMOS, Izabela Nalio. Entre “perifeminas” e “minas

de artilharia”: participação e identidades de mulheres

no hip hop e no funk em São Paulo. Dissertação de

mestrado apresentada ao Programa de Pós Graduação

em Antropologia Social, Universidade de São Paulo,

SANTOS, Jaqueline Lima. Negro, jovem e hip hopper:

história, narrativa e identidade em Sorocaba.

Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de

Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade

Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 2011.

Publicado
2017-07-01
Como Citar
Ramos, I. N. (2017). Funkeiras e hip hoppers, mulheres artistas em movimento. PROA Revista De Antropologia E Arte, 1(7). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/proa/article/view/2881
Seção
Relatos e Experiências