Tramas narrativas, um mergulho com o artista Leonilson

  • Karlene Silva Andrade
  • Juliana Silva Chagas

Resumo

Trazemos uma abordagem sócio-antropológica das narrativas presentes na obra do artista Leonilson, pintor, desenhista e escultor, nascido no Ceará. Suas obras autobiográficas atravessam a temporalidade, como consequência de sua história, assim como perpassa questões sociais. Os símbolos presentes em seus trabalhos trazem temas sobre sexualidade, suas inspirações produzem obras que possuem relação direta, subjetiva e coletiva com sua homoafetividade e a doença causadora de sua morte, a AIDS. Sua arte se entrelaça com a trajetória de outras pessoas, remete a profundidades e tramas do ser no mundo e seus (des)afetos, a partir de uma não linearidade temporal. Os quadros, bordados, esculturas e áudios narram vivências de preconceito, negação e dor. Leonilson foi indivíduo crítico sobre o seu tempo e o seu lugar, mostrava as tensões existentes em produzir arte.

Biografia do Autor

Karlene Silva Andrade
Estudante de graduação de Ciências Socias com ênfase em Antropologia, interesse na áreas de Gênero, Sexualidade e Narrativas.
Juliana Silva Chagas
Estudante de graduação de Ciências Socias com ênfase em Antropologia, interesse na áreas de Arte, Performance e Alteridades.

Referências

A PAIXÃO de JL. Direção de Carlos Nader. [S.l.]: Itaú Cultural, 2015.

ALMEIDA, Miguel Vale de. Género, masculinidade e poder: revendo um caso do Sul de Portugal. Anuário Antropológico, Brasília, n. 95, p. 161-190, 1996.

ARTIÈRIES, Philippe. Arquivar a própria vida. Revista de Estudos Históricos, v. 11, n. 21, 1998.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam. In: LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: Pedagogias da sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. Cap. 6. p. 151-172.

CASSUNDÉ, Carlos Eduardo Bitu, MACIEL, Maria Esther, RESENDE, Ricardo. Leonilson: Sob o peso de meus amores. Catálogo de exposição em edição bilíngue. Tradução: Clara Meirelles. 16 de março a 3 de junho de 2012. Porto Alegre: Fundação Iberê Camargo, 2012.

CASSUNDÉ, Carlos Eduardo Bitu. LEONILSON: a natureza do sentir. 2011. 165 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Escola de Belas Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/JSSS-9R8N4A/leonilson.pdf?sequence=1>. Acesso em: 1 nov. 2017.

CLIFFORD, J. Sobre o surrealismo etnográfico. In: A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1998.

COM o oceano inteiro para nadar. Direção de Karen Harley. [S. l.]: Mix Nyc: Lesbian And Gay Experimental Film And Video Festival, 1997. (20 min.), color. Biographical portrait of the Brazilian artist Leonilson before he died of AIDS. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=0cbQcSMXKOc>. Acesso em: 01 mai. 2013.

COMO Vai Você, Geração 80? In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento83465/como-vai-voce-geracao-80-1984-rio-de-janeiro-rj>. Acesso em: 04 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

COUTO, Mia. Línguas que não sabemos que sabíamos. In: E se Obama fosse africano?: as outras intervenções. 1ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

DAWSEY, John Cowart. Descrição tensa (Tension-Thick Description): Geertz, Benjamin e Performance. Revista de Antropologia. São Paulo, v. 56, n. 2, p. 291-320, set. 2013.

DERRIDA, Jacques. A escritura e a diferença. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1995. (Debates). Trad. Maria Beatriz Marques Nizza da Silva.

EL Puerto. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra34670/el-puerto>. Acesso em: 04 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar Escrever Esquecer. São Paulo: Ed. 34, 2006.

GASPARI, Elio. A Ditadura Encurralada. São Paulo: Cia da Letras, 2004.

GELL, Alfred. Definição do problema: a necessidade de uma antropologia da arte. Revista Poiésis, n. 14, p. 245-261, dez. 2009.

GINZBURG, Carlo. O fio e os rastros. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GONÇALVES, Marco Antônio. O real imaginado: etnografia, cinema e surrealismo em Jean Rouch. Rio de Janeiro: Editora Topbooks, 2008.

GONÇALVES FILHO, Antônio. Leonilson ganha catálogo raisonné em três volumes. 2017. Disponível em: <http://cultura.estadao.com.br/noticias/artes,leonilson-ganha-catalogo-raisonne-em-tres-volumes,70001871381>. Acesso em: 30 out. 2017.

INGOLD, T. Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais. Horizontes Antropológicos, [s.l.], v. 18, n. 37, p. 25-44, jun. 2012. Fap UNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0104-71832012000100002.

KOFES, Suely. Experiências sociais, interpretações individuais: histórias de vida, suas possibilidade e limites. Cadernos Pagu, v. 0, n. 3, p. 117-141. Desacordos, desamores e diferenças, 1994.

JOSÉ. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra57780/jose>. Acesso em: 04 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia.

ISBN: 978-85-7979-060-7

LAGNADO, Lisette. Leonilson: São tantas as verdades. São Paulo: Dba Artes Gráficas: Companhia Melhoramentos de São Paulo, 1998.

LATOUR, B. O que é iconoclash? Ou, há um mundo além das guerras de imagem? In: Horizontes Antropológicos, Ano 14, n. 29, 2008.

LEONILSON. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8742/leonilson>. Acesso em: 04 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7.

MOLINA, Camila. Expoente dos anos 1980, Leonilson é tema de duas mostras. 2014. O Estado de S. Paulo. Disponível em: <http://cultura.estadao.com.br/noticias/artes,expoente-dos-anos-1980-leonilson-e-tema-de-duas-mostras,1531610>. Acesso em: 03 nov. 2017.

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO CEARÁ. Leonilson Inflamável. Fortaleza: [s. n.], 11 de junho a 09 de setembro de 2013, Museu de Arte Contemporânea do Ceará, 2013.

‘NÃO há mais acordo entre arte e espectadores’, afirma Jacques Rancière. O Estadão, São Paulo, 11 mar. 2017. Disponível em: <http://alias.estadao.com.br/noticias/geral,nao-ha-mais-acordo-entre-arte-e-espectadores-afirma-jacques-ranciere,70001693710>. Acesso em: 20 abr. 2017.

PEIRANO, Mariza. Etnografia não é método. Horizontes Antropológicos, [s.l.], v. 20, n. 42, p. 377-391, dez. 2014. Fap UNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0104-71832014000200015.

PINACOTECA DO ESTADO DE SÃO PAULO (São Paulo) (Org.). Leonilson: Truth, Fiction. 2014. Disponível em: <http://pinacoteca.org.br/programacao/leonilson-truth-fiction/>. Acesso em: 04 nov. 2017.

PRIORE, Mary del. Biografia: quando o indivíduo encontra a história. Topoi: Revista de História, Rio de Janeiro, v. 10, n. 19, p. 7-16, jul-dez. 2009.

PROJETO LEONILSON. Leonilson: arquivo e memória vivos. Fortaleza: [s.n.], 14 de março a 09 de julho de 2017, Espaço Cultural Unifor, 2017.

PROVAS de Amor. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra24489/provas-de-amor>. Acesso em: 04 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia.

ISBN: 978-85-7979-060-7

WEEKS, Jeffrey. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: Pedagogias da sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. Cap. 2. p. 35-82.

Publicado
2018-08-12
Como Citar
Andrade, K. S., & Chagas, J. S. (2018). Tramas narrativas, um mergulho com o artista Leonilson. PROA Revista De Antropologia E Arte, 1(8), 53-71. Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/proa/article/view/2861
Seção
Artigos