Tramas narrativas, um mergulho com o artista Leonilson

Karlene Silva Andrade, Juliana Silva Chagas

Resumo


Trazemos uma abordagem sócio-antropológica das narrativas presentes na obra do artista Leonilson, pintor, desenhista e escultor, nascido no Ceará. Suas obras autobiográficas atravessam a temporalidade, como consequência de sua história, assim como perpassa questões sociais. Os símbolos presentes em seus trabalhos trazem temas sobre sexualidade, suas inspirações produzem obras que possuem relação direta, subjetiva e coletiva com sua homoafetividade e a doença causadora de sua morte, a AIDS. Sua arte se entrelaça com a trajetória de outras pessoas, remete a profundidades e tramas do ser no mundo e seus (des)afetos, a partir de uma não linearidade temporal. Os quadros, bordados, esculturas e áudios narram vivências de preconceito, negação e dor. Leonilson foi indivíduo crítico sobre o seu tempo e o seu lugar, mostrava as tensões existentes em produzir arte.


Palavras-chave


AUTOBIOGRAFIA; ARTE; HOMOSSEXUALIDADE; NARRATIVA; SEXUALIDADE.

Texto completo:

PDF

Referências


A PAIXÃO de JL. Direção de Carlos Nader. [S.l.]: Itaú Cultural, 2015.

ALMEIDA, Miguel Vale de. Género, masculinidade e poder: revendo um caso do Sul de Portugal. Anuário Antropológico, Brasília, n. 95, p. 161-190, 1996.

ARTIÈRIES, Philippe. Arquivar a própria vida. Revista de Estudos Históricos, v. 11, n. 21, 1998.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam. In: LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: Pedagogias da sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. Cap. 6. p. 151-172.

CASSUNDÉ, Carlos Eduardo Bitu, MACIEL, Maria Esther, RESENDE, Ricardo. Leonilson: Sob o peso de meus amores. Catálogo de exposição em edição bilíngue. Tradução: Clara Meirelles. 16 de março a 3 de junho de 2012. Porto Alegre: Fundação Iberê Camargo, 2012.

CASSUNDÉ, Carlos Eduardo Bitu. LEONILSON: a natureza do sentir. 2011. 165 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Escola de Belas Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011. Disponível em: . Acesso em: 1 nov. 2017.

CLIFFORD, J. Sobre o surrealismo etnográfico. In: A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1998.

COM o oceano inteiro para nadar. Direção de Karen Harley. [S. l.]: Mix Nyc: Lesbian And Gay Experimental Film And Video Festival, 1997. (20 min.), color. Biographical portrait of the Brazilian artist Leonilson before he died of AIDS. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. 2013.

COMO Vai Você, Geração 80? In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: . Acesso em: 04 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

COUTO, Mia. Línguas que não sabemos que sabíamos. In: E se Obama fosse africano?: as outras intervenções. 1ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

DAWSEY, John Cowart. Descrição tensa (Tension-Thick Description): Geertz, Benjamin e Performance. Revista de Antropologia. São Paulo, v. 56, n. 2, p. 291-320, set. 2013.

DERRIDA, Jacques. A escritura e a diferença. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1995. (Debates). Trad. Maria Beatriz Marques Nizza da Silva.

EL Puerto. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: . Acesso em: 04 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar Escrever Esquecer. São Paulo: Ed. 34, 2006.

GASPARI, Elio. A Ditadura Encurralada. São Paulo: Cia da Letras, 2004.

GELL, Alfred. Definição do problema: a necessidade de uma antropologia da arte. Revista Poiésis, n. 14, p. 245-261, dez. 2009.

GINZBURG, Carlo. O fio e os rastros. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GONÇALVES, Marco Antônio. O real imaginado: etnografia, cinema e surrealismo em Jean Rouch. Rio de Janeiro: Editora Topbooks, 2008.

GONÇALVES FILHO, Antônio. Leonilson ganha catálogo raisonné em três volumes. 2017. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2017.

INGOLD, T. Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais. Horizontes Antropológicos, [s.l.], v. 18, n. 37, p. 25-44, jun. 2012. Fap UNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0104-71832012000100002.

KOFES, Suely. Experiências sociais, interpretações individuais: histórias de vida, suas possibilidade e limites. Cadernos Pagu, v. 0, n. 3, p. 117-141. Desacordos, desamores e diferenças, 1994.

JOSÉ. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: . Acesso em: 04 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia.

ISBN: 978-85-7979-060-7

LAGNADO, Lisette. Leonilson: São tantas as verdades. São Paulo: Dba Artes Gráficas: Companhia Melhoramentos de São Paulo, 1998.

LATOUR, B. O que é iconoclash? Ou, há um mundo além das guerras de imagem? In: Horizontes Antropológicos, Ano 14, n. 29, 2008.

LEONILSON. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: . Acesso em: 04 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7.

MOLINA, Camila. Expoente dos anos 1980, Leonilson é tema de duas mostras. 2014. O Estado de S. Paulo. Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2017.

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO CEARÁ. Leonilson Inflamável. Fortaleza: [s. n.], 11 de junho a 09 de setembro de 2013, Museu de Arte Contemporânea do Ceará, 2013.

‘NÃO há mais acordo entre arte e espectadores’, afirma Jacques Rancière. O Estadão, São Paulo, 11 mar. 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2017.

PEIRANO, Mariza. Etnografia não é método. Horizontes Antropológicos, [s.l.], v. 20, n. 42, p. 377-391, dez. 2014. Fap UNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0104-71832014000200015.

PINACOTECA DO ESTADO DE SÃO PAULO (São Paulo) (Org.). Leonilson: Truth, Fiction. 2014. Disponível em: . Acesso em: 04 nov. 2017.

PRIORE, Mary del. Biografia: quando o indivíduo encontra a história. Topoi: Revista de História, Rio de Janeiro, v. 10, n. 19, p. 7-16, jul-dez. 2009.

PROJETO LEONILSON. Leonilson: arquivo e memória vivos. Fortaleza: [s.n.], 14 de março a 09 de julho de 2017, Espaço Cultural Unifor, 2017.

PROVAS de Amor. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: . Acesso em: 04 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia.

ISBN: 978-85-7979-060-7

WEEKS, Jeffrey. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: Pedagogias da sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. Cap. 2. p. 35-82.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 PROA Revista de Antropologia e Arte

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/br/

PROA: Revista de antropologia e arte. IFCH-UNICAMP, Campinas. ISSN:2175-6015.  Conteúdos licenciados em CC BY.

Indexadores: Latindex / DOAJ / CAPES / Sumários