Arte e interação social na Pinacoteca de São Paulo

Júlio César Talhari

Resumo


Muitas análises entendem os museus como parte de uma cultura de consumo e veem seus frequentadores apenas como consumidores. O presente artigo busca um afastamento de tais estudos ao tentar compreender o comportamento dos visitantes da Pinacoteca de São Paulo em suas formas de sociabilidade, bem como sua relação com os objetos de arte tendo como base uma perspectiva antropológica da arte e da cultura material. Assim, analisa-se, situacionalmente, as relações dos visitantes de modo que, por meio das obras de arte e dos laços de sociabilidade, as interações sociais possam ser ampliadas e, em vez de ocasião para distinção simbólica e social, a visita possa ser entendida como oportunidade de construção pessoal.

Palavras-chave: Cultura material; sociabilidade urbana; museus; análise situacional; agência social.


Texto completo:

PDF

Referências


Agier, M. Antropologia da cidade – lugares, situações,

movimentos. São Paulo: Terceiro Nome, 2011.

Arantes, O. “Os novos museus”. Novos Estudos Cebrap,

n. 31, out., 1991, p. 161-169.

Ayerbe, J. S.; Piccoli, V. & Hannud, G. (coord. geral). Arte

no Brasil: uma história na Pinacoteca de São Paulo, guia

de visitação. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2011.

Douglas, M. & Isherwood, B. O mundo dos bens: para

uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro: Editora

UFRJ, 2013 [1979].

Featherstone, M. Cultura de consumo e pós-modernismo.

São Paulo: Studio Nobel Ltda., 1995.

Gell, A. Art and Agency – An Anthropological Theory.

Oxford: Clarendon Press, 1998.

______. “A rede de Vogel: armadilhas como obras de

arte e obras de arte como armadilhas”. Trad. de Marcia

Martins Campos e Laura Bedran. Revista do Programa

do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais EBA –

UFRJ, 2001 [1996], p. 174-191.

______. “Definição do problema: a necessidade de

uma antropologia da arte”. In: Dabul, L.; Villas Boas,

G. (orgs.); Vinhosa, L. (ed.). Poiésis, n. 14, ago., 2009

, p. 243-259.

Goffman, E. Comportamento em lugares públicos: notas

sobre a organização social dos ajuntamentos. Trad.

de Fábio Rodrigues Ribeiro da Silva. Petrópolis: Vozes,

[1963].

Miller, D. Trecos, troços e coisas – estudos antropológicos

sobre a cultura material. Trad. de Renato Aguiar. Rio de

Janeiro: Zahar, 2013.

Prior, N. “Postmodern Restructurings”. In: Macdonald,

S. (ed.). A Companion to Museum Studies. Oxford:

Blackwell, 2006, p. 509-524.

Sahlins, M. Cultura e razão prática. Trad. de Sérgio

Tadeu de Niemayer Lamarão. Rio de Janeiro: Jorge

Zahar Editor, 2003 [1976].

Talhari, J. C. & Frúgoli Jr., H. “Entre o tecido físico

e social das cidades: entrevista com Sharon Zukin”.

Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 29, n. 84,

fev., 2014, p. 8-24.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 PROA - Revista de Antropologia e Arte



PROA: Revista de antropologia e arte. IFCH-UNICAMP, Campinas. ISSN:2175-6015.  Conteúdos licenciados em CC BY.

Indexadores: Latindex / DOAJ / CAPES / Sumários