Muito Barulho por Nada? Maria Bethânia, a Lei Rouanet e a Mídia Brasileira

  • Leonardo Costa Universidade Federal da Bahia
  • Renata Rocha Universidade Federal da Bahia

Resumo

Buscaremos neste artigo discutir o recente caso envolvendo a cantora Maria Bethânia e a aprovação de um projeto para captação de recursos na Lei Rouanet, fato que gerou grande polêmica na imprensa e nas mídias sociais sobre o funcionamento e as especificidades da referida lei. Faremos, primeiro, uma breve contextualização das leis de incentivo no Brasil, para em seguida discorrer sobre o Caso Bethânia a partir de duas perspectivas distintas: o valor da mercadoria simbólica e a necessidade de ampliar o debate sobre o financiamento da cultura no Brasil.

Biografia do Autor

Leonardo Costa, Universidade Federal da Bahia
Professor Adjunto da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (UFBA).
Renata Rocha, Universidade Federal da Bahia
Doutoranda em Cultura e Sociedade pela UFBA e bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Referências

Botelho, I. As leis de incentivo fiscais à cultura. In: Franceschi, A. de et al. Marketing cultural: um investimento com qualidade. São Paulo: Informações Culturais, 1998.

Bourdieu, P. O mercado dos bens simbólicos. In: Miceli, S. (Org.). A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1974. p. 99-181.

Brant, L. Mercado cultural. São Paulo: Escrituras, 2002.

Canclini, N. G. Definiciones en transición. In: Mato, Daniel. (Org.). Cultura, política y sociedad: perspectivas latinoamericanas. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (Clacso), 2005.

Cesnik, F. de S. Guia do incentivo à cultura. Barueri: Manole, 2007.

Corrêa, M. Do marketing ao desenvolvimento cultural. Belo Horizonte: 2004.

Costa, I. F. da. Marketing cultural: o patrocínio de atividades culturais como ferramenta de construção de marca. São Paulo: Atlas, 2004.

Costa, L. F. Profissionalização da organização da cultura no Brasil: uma análise da formação em produção, gestão e políticas culturais. Doutorado Multidisciplinar em Cultura e Sociedade, Universidade Federal da Bahia, 2011.

Leocadio, A. L.; Marchetti, R. Marketing cultural: critérios de avaliação utilizados pelas empresas patrocinadoras. In: VI Seminário em Administração (Semead). São Paulo: 2003.

Nussbaumer, G. M.. O mercado da cultura em tempos (pós) modernos. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2000.

Ochoa, A. M. La dispersión de las escrituras y la etnografía de las políticas culturales. In: ______. Entre los deseos y los derechos. Un ensayo crítico sobre políticas culturales. Bogotá: Instituto Colombiano de Antropología e Historia, 2003.

Olivieri, C. G. Cultura neoliberal: leis de incentivo como política pública de cultura. São Paulo: Escrituras, 2004.

Ortiz, R. Cultura e desenvolvimento. In: Políticas Culturais em Revista. n. 1, out. 2008. Disponível em: <http://www.portalseer.ufba.br/index.php/pculturais/article/view/3194/2304>. Acesso em: 1 nov. 2011.

Reis, A. C. F.. Marketing cultural e financiamento da cultura: teoria e prática em um estudo internacional comparado. São Paulo: Thomson Learning, 2006.

Rubim, A. A. C. Políticas culturais no Brasil: tristes tradições, enormes desafios. In: Rubim, A. A. C.; Barbalho, A. (Orgs.). Políticas culturais no Brasil. Salvador: Edufba, 2007.

______. Formação em organização da cultura no Brasil. In: Revista Observatório Itaú Cultural. n. 6, jul./set. 2008. São Paulo: Itaú Cultural, 2008.

Salgado, G. M.; Pedra, L. S.; Caldas, R. dos S. As políticas de financiamento à cultura: a urgência de uma reforma. In: Rubim, A. (ORG.). Políticas culturais no governo Lula. Salvador: Edufba, 2010.

Sarkovas, Y. Produção cultural no Brasil. 20 de agosto de 2010. Disponível em: <http://www.producaocultural.org.br/wp-content/themes/prod-cultural/integra/integra-yacoff-sarkovas.html>. Acesso em 29 ago. 2010.

Serviço Social da Indústria – Sesi. Estudos das leis de incentivo à cultura. Brasília: Sesi/ Departamento Nacional, 2007.

Silva, F. A. B. da. Financiamento cultural: situação atual e questões para reflexão. In: Políticas Sociais: Acompanhamento e Análise. n. 8. Brasília: Ipea, fev. 2004.

Publicado
2011-11-01
Como Citar
Costa, L., & Rocha, R. (2011). Muito Barulho por Nada? Maria Bethânia, a Lei Rouanet e a Mídia Brasileira. PROA Revista De Antropologia E Arte, 1(3). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/proa/article/view/2424
Edição
Seção
Artigos