RADICALMENTE SANTOS: o rock’n’roll e o underground na produção da pertença religiosa entre jovens

Flávia Slompo Pinto

Resumo


Esse artigo apresenta um estudo realizado entre os jovens da igreja evangélica Crash Church Underground Ministry, fundada em 2006 e localizada em um pequeno galpão do bairro Ipiranga, na cidade de São Paulo. A partir do trabalho de campo, foi possível perceber que a cosmologia pentecostal, acoplada à cena underground do heavy metal, fornece aos jovens meios de pensar as práticas de construção de seus projetos de vida como voltadas para algo de grande valor. Vendo a si próprios como socialmente marginalizados, esses jovens invertem tal condição a partir do underground e da religião, construindo com tais recursos agencialidade e poder, de forma a forjar um estilo próprio de existência.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências Bibliográficas

ALMEIDA, R. de. A universalização do Reino de Deus. Dissertação de Mestrado em Antropologia Social. IFCH/Unicamp, 1996.

ARNETT, J. Adolescents and heavy metal music: from the mouths of metalheads. IN: Youth and Society, n.23, 1991, p. 76-100.

BALLARD, M. E. & COATES, S. The immediate effects of suicidal, homicidal in heavy metal and rap. IN: Youth and Society, n. 27, 1991, p.169-193.

BARON, S.. Resistance and its consequences: the street culture of punks. IN: Youth and Society, n. 21, 1989, p. 207-249.

BOURDIEU, P. Esboço de uma teoria da prática. IN: ORTIZ, R. (org) Pierre Bourdieu. São Paulo: Ática, 1983.

COHEN, A. K. A delinqüência como subcultura. IN: Sociologia da Juventude, III, Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1968.

COSTA, M. R. da. Os Carecas de Cristo e as tribos urbanas do underground evangélico. IN: PAIS, J. M. & BLASS, L. M. S.. Tribos Urbanas: produção artística e identidades. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2004.

FORACCHI, M.. A juventude na sociedade moderna. São Paulo: Pioneira, 1972.

GOW, P. Da etnografia à história: introdução e conclusão de Of Mixed Blood: kinship and history in Peruvian Amazônia. IN: Cadernos de Campo, vol. 15, nº 14/15, 2006.

KEMP, K.. Grupos de estilo jovens: o rock underground e as práticas (contra) culturais dos grupos punk e trash em São Paulo. Dissertação de Mestrado em Antropologia Social. IFCH/Unicamp, 1993.

LOCKE, J. Cartas sobre tolerância. São Paulo: Ícone, 2004.

MARIANO, R.. Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Edições Loyola, 1999.

MARX, K.. Sobre a Religião. Lisboa: Editora 70, 1975.

ORTNER, S.. Uma atualização da teoria da prática. IN: GROSSI, M. P.; ECKERT, C. & FRY, P. H (orgs). Conferências e diálogos: saberes e práticas antropológicas. Blumenau: Nova Letra, 2007

QUEIROZ, T. C. Culturas juvenis. Contestação social e cidadania: a voz ativa do hiphop. IN: (Re) Construções da Juventude: cultura e representações contemporâneas. João Pessoa: Editora Universitária, 2004.

RUMSTAIN, A.. A balada do senhor. IN: MAGNANI, J. G. & SOUZA, B. M. de. (orgs) Jovens na Metrópole: etnografias de circuitos de lazer, encontro e sociabilidade. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2008.

RIBEIRO, B. S. M. “O Diabo é o Pai do rock”: a construção de uma identidade para a juventude cristã através de livros sobre o rock. Monografia em História. IFCH - Unicamp, 2007.

ROBBINS, J. Sobre alteridade e o sagrado em uma época de globalização: o “trans” em “transnacional” é o mesmo “trans” de “transcendente”? IN: Mana – Estudos de Antropologia Social vol. 14 número 1, 2008.

ROSA, P. O.. Rock Underground: uma etnografia do rock alternativo. São Paulo: Radical Livros, 2008.

SAHLINS, Marshall. Ilhas de História. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990.

SEGATO, R. L.. A faccionalização da república e da paisagem religiosa como índice de uma nova territorialidade. IN: Horizontes Antropológicos, vol. 13, nº27, 2007, p. 99- 143.

SIEPIERSKI, C. T. Fé, marketing e espetáculo: a dimensão organizacional da Igreja Renascer em Cristo. IN: Civitas, v.3 n.1, 2003.

TAYLOR, Charles. Sources of the self: the making of the modern identity. Cambridge, Harvard University Press, 1989.

THEIJE, Marjo de. Tudo o que é de Deus é Bom: uma antropologia do catolicismo liberacionista em Garanhuns, Brasil. Recife: FSN: Massangana, 2002.

WHYTE, W. F. Street Corner Society: the social structure of an Italian slum. Chicago: University of Chicago, 1981.

Referências Imagens

Imagem 2 do artigo. Altura: 600 pixels. Largura: 491 pixels. 120 dpi.

Tamanho: 59KB. Disponível em: http://c4.acimages.myspacecdn.com/images01/26/l_080458c8824062c824d0dcf96a25869f.jpg. Acessado em: 11 de dezembro de 2008.

CARTAZ.WEB. Altura: 778 pixels. Largura: 1100 pixels. 96 dpi. Tamanho:

49KB. Formato JPEG. Disponível em:

http://www.crashchurch.com/imagens/cartaz_web.jpg. 2008. Acesso em: 17 de outubro de 2008. [Imagem 5 do artigo].

Imagem 1 do artigo. Tamanho: 33,3 KB. Disponível em:

http://crashchurchsp.nafoto.net/images/photo20080110093108.jpg. Acesso em: 17 de outubro de 2008.

Imagem 4 do artigo. Largura: 500 pixels. Largura: 375 pixels. 96 dpi.

Tamanho: 29,6 KB. Disponível em: http://crashchurchsp.nafoto.net/images/photo20080114183250.jpg. Acesso em: 17 de outubro de 2008.

Imagem 3 do artigo. Altura: 500 pixels. Largura: 375 pixels. 96 dpi.

Tamanho: 39,8 KB. Formato JPEG. Disponível em:

http://crashchurchsp.nafoto.net/images/photo20080829200436.jpg. Acesso em: 17 de outubro de 2008.

IMG1470jy9. Altura: 440 pixels. Largura: 660 pixels. Tamanho: 78.93KB. 72 dpi. Disponível em: http://www.antidemon.net/gira2008.html. Acesso em: 11 de dezembro de 2008.

Outras Fontes

• http://rockintheworldwebzine.blogspot.com/

• http://sinkillerwebzine.blogspot.com/

• http://www.antidemon.net/

• http://www.crashchurch.com/


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 PROA - Revista de Antropologia e Arte



PROA: Revista de antropologia e arte. IFCH-UNICAMP, Campinas. ISSN:2175-6015.  Conteúdos licenciados em CC BY.

Indexadores: Latindex / DOAJ / CAPES / Sumários