RADICALMENTE SANTOS: o rock’n’roll e o underground na produção da pertença religiosa entre jovens

  • Flávia Slompo Pinto Universidade Estadual de Campinas

Resumo

Esse artigo apresenta um estudo realizado entre os jovens da igreja evangélica Crash Church Underground Ministry, fundada em 2006 e localizada em um pequeno galpão do bairro Ipiranga, na cidade de São Paulo. A partir do trabalho de campo, foi possível perceber que a cosmologia pentecostal, acoplada à cena underground do heavy metal, fornece aos jovens meios de pensar as práticas de construção de seus projetos de vida como voltadas para algo de grande valor. Vendo a si próprios como socialmente marginalizados, esses jovens invertem tal condição a partir do underground e da religião, construindo com tais recursos agencialidade e poder, de forma a forjar um estilo próprio de existência.

Biografia do Autor

Flávia Slompo Pinto, Universidade Estadual de Campinas
Mestranda em Antropologia Social no Programa de Pós-graduação em Antropologia Social da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

Referências Bibliográficas

ALMEIDA, R. de. A universalização do Reino de Deus. Dissertação de Mestrado em Antropologia Social. IFCH/Unicamp, 1996.

ARNETT, J. Adolescents and heavy metal music: from the mouths of metalheads. IN: Youth and Society, n.23, 1991, p. 76-100.

BALLARD, M. E. & COATES, S. The immediate effects of suicidal, homicidal in heavy metal and rap. IN: Youth and Society, n. 27, 1991, p.169-193.

BARON, S.. Resistance and its consequences: the street culture of punks. IN: Youth and Society, n. 21, 1989, p. 207-249.

BOURDIEU, P. Esboço de uma teoria da prática. IN: ORTIZ, R. (org) Pierre Bourdieu. São Paulo: Ática, 1983.

COHEN, A. K. A delinqüência como subcultura. IN: Sociologia da Juventude, III, Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1968.

COSTA, M. R. da. Os Carecas de Cristo e as tribos urbanas do underground evangélico. IN: PAIS, J. M. & BLASS, L. M. S.. Tribos Urbanas: produção artística e identidades. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2004.

FORACCHI, M.. A juventude na sociedade moderna. São Paulo: Pioneira, 1972.

GOW, P. Da etnografia à história: introdução e conclusão de Of Mixed Blood: kinship and history in Peruvian Amazônia. IN: Cadernos de Campo, vol. 15, nº 14/15, 2006.

KEMP, K.. Grupos de estilo jovens: o rock underground e as práticas (contra) culturais dos grupos punk e trash em São Paulo. Dissertação de Mestrado em Antropologia Social. IFCH/Unicamp, 1993.

LOCKE, J. Cartas sobre tolerância. São Paulo: Ícone, 2004.

MARIANO, R.. Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Edições Loyola, 1999.

MARX, K.. Sobre a Religião. Lisboa: Editora 70, 1975.

ORTNER, S.. Uma atualização da teoria da prática. IN: GROSSI, M. P.; ECKERT, C. & FRY, P. H (orgs). Conferências e diálogos: saberes e práticas antropológicas. Blumenau: Nova Letra, 2007

QUEIROZ, T. C. Culturas juvenis. Contestação social e cidadania: a voz ativa do hiphop. IN: (Re) Construções da Juventude: cultura e representações contemporâneas. João Pessoa: Editora Universitária, 2004.

RUMSTAIN, A.. A balada do senhor. IN: MAGNANI, J. G. & SOUZA, B. M. de. (orgs) Jovens na Metrópole: etnografias de circuitos de lazer, encontro e sociabilidade. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2008.

RIBEIRO, B. S. M. “O Diabo é o Pai do rock”: a construção de uma identidade para a juventude cristã através de livros sobre o rock. Monografia em História. IFCH - Unicamp, 2007.

ROBBINS, J. Sobre alteridade e o sagrado em uma época de globalização: o “trans” em “transnacional” é o mesmo “trans” de “transcendente”? IN: Mana – Estudos de Antropologia Social vol. 14 número 1, 2008.

ROSA, P. O.. Rock Underground: uma etnografia do rock alternativo. São Paulo: Radical Livros, 2008.

SAHLINS, Marshall. Ilhas de História. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990.

SEGATO, R. L.. A faccionalização da república e da paisagem religiosa como índice de uma nova territorialidade. IN: Horizontes Antropológicos, vol. 13, nº27, 2007, p. 99- 143.

SIEPIERSKI, C. T. Fé, marketing e espetáculo: a dimensão organizacional da Igreja Renascer em Cristo. IN: Civitas, v.3 n.1, 2003.

TAYLOR, Charles. Sources of the self: the making of the modern identity. Cambridge, Harvard University Press, 1989.

THEIJE, Marjo de. Tudo o que é de Deus é Bom: uma antropologia do catolicismo liberacionista em Garanhuns, Brasil. Recife: FSN: Massangana, 2002.

WHYTE, W. F. Street Corner Society: the social structure of an Italian slum. Chicago: University of Chicago, 1981.

Referências Imagens

Imagem 2 do artigo. Altura: 600 pixels. Largura: 491 pixels. 120 dpi.

Tamanho: 59KB. Disponível em: http://c4.acimages.myspacecdn.com/images01/26/l_080458c8824062c824d0dcf96a25869f.jpg. Acessado em: 11 de dezembro de 2008.

CARTAZ.WEB. Altura: 778 pixels. Largura: 1100 pixels. 96 dpi. Tamanho:

49KB. Formato JPEG. Disponível em:

http://www.crashchurch.com/imagens/cartaz_web.jpg. 2008. Acesso em: 17 de outubro de 2008. [Imagem 5 do artigo].

Imagem 1 do artigo. Tamanho: 33,3 KB. Disponível em:

http://crashchurchsp.nafoto.net/images/photo20080110093108.jpg. Acesso em: 17 de outubro de 2008.

Imagem 4 do artigo. Largura: 500 pixels. Largura: 375 pixels. 96 dpi.

Tamanho: 29,6 KB. Disponível em: http://crashchurchsp.nafoto.net/images/photo20080114183250.jpg. Acesso em: 17 de outubro de 2008.

Imagem 3 do artigo. Altura: 500 pixels. Largura: 375 pixels. 96 dpi.

Tamanho: 39,8 KB. Formato JPEG. Disponível em:

http://crashchurchsp.nafoto.net/images/photo20080829200436.jpg. Acesso em: 17 de outubro de 2008.

IMG1470jy9. Altura: 440 pixels. Largura: 660 pixels. Tamanho: 78.93KB. 72 dpi. Disponível em: http://www.antidemon.net/gira2008.html. Acesso em: 11 de dezembro de 2008.

Outras Fontes

http://rockintheworldwebzine.blogspot.com/

http://sinkillerwebzine.blogspot.com/

http://www.antidemon.net/

http://www.crashchurch.com/

Publicado
2009-11-01
Como Citar
Pinto, F. S. (2009). RADICALMENTE SANTOS: o rock’n’roll e o underground na produção da pertença religiosa entre jovens. PROA Revista De Antropologia E Arte, 1(1). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/proa/article/view/2397
Edição
Seção
Artigos