Lévi-Strauss e a arte moderna: o Impressionismo e o Cubismo

  • Amanda Lopes Pontes Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Resumo

Tomando como ponto de partida algumas considerações de Lévi-Strauss sobre o Impressionismo e o Cubismo como tentativas de ruptura com características que distinguiriam a arte moderna ocidental das artes das sociedades ditas primitivas, este artigo pretende discutir estes movimentos a partir da perspectiva aberta pelo autor, testando em que medida a idéia de que estes movimentos representariam rupturas com elementos distintivos da arte ocidental moderna pode efetivamente contribuir para a sua compreensão.

Biografia do Autor

Amanda Lopes Pontes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Amanda Cozzi Lopes Pontes é graduada em Ciências Sociais pela PUC-Rio, mestre e doutoranda em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais - UERJ.
Publicado
2010-12-01
Como Citar
Pontes, A. L. (2010). Lévi-Strauss e a arte moderna: o Impressionismo e o Cubismo. PROA Revista De Antropologia E Arte, 1(2). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/proa/article/view/2384
Edição
Seção
Artigos