Matéria e movimento em Espinosa: o que pode um corpo e algumas questões para a contemporaneidade. Matter and movement in Espinosa: what can a body and some questions for contemporaneity.

  • Giorgio Gonçalves Ferreira

Resumo

O objetivo deste texto é tratar das relações entre matéria e movimento na filosofia de Espinosa e evidenciar os desdobramentos da temática para as reflexões acerca do que pode um corpo, e para a teoria dos afetos na sua filosofia. O texto inicia discutindo as críticas de Espinosa à concepção de matéria proposta por Descartes. Na sequência, indica em que medida a concepção de movimento enquanto algo intrínseco à matéria resolve não apenas problemas ligados à concepção de matéria como massa inerte, mas, também, tem impactos para a concepção de desejo e teoria dos afetos. A partir de tais considerações a análise se encaminha para os ecos da filosofia de Espinosa na contemporaneidade. Nesse momento, o texto aborda as filosofias de Nietzsche e Deleuze, mais especificamente, sobre concepção de desejo e a teoria dos afetos. Por fim, o texto tece algumas considerações acerca das leituras contemporânea de EIIIP2S.
Como Citar
Ferreira, G. G. (1). Matéria e movimento em Espinosa: o que pode um corpo e algumas questões para a contemporaneidade. Matter and movement in Espinosa: what can a body and some questions for contemporaneity. Modernos & Contemporâneos - International Journal of Philosophy [issn 2595-1211], 2(4). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/modernoscontemporaneos/article/view/3502