Epístola L. Epistle L. Trad. Diego Lanciote.

  • Baruch Spinoza

Resumo

Esta epístola é conhecida apenas pela sua tradução latina nas Opera Posthuma1 e sua retradução em holandês nos Nagelate Schriften, ambas publicadas por Jan Rieuwertz em 1677. Jarig Jelles (1620 - 1683), a quem a epístola fora endereçada, é um importante comerciante e amigo íntimo de longa data de Spinoza. Jelles também foi quem financiou a publicação dos Renati Des Cartes Principiorum Philosophiae (1663)2 e quem provavelmente escrevera o Praefatio dos Nagelate Schriften e, também, a Admonitio do Tractatus De Intellectus Emendatione (escrito entre 1665-1670 e publicado nas Opera Posthuma). A relação de grande proximidade entre Spinoza e Jelles, decerto, deve ter impactado este último no que se refere à sua imagem pública, assim Jelles escreve Belydenisse des algemeenen en christelyken geloofs [Confissão de fé universal e cristã] com o intuito de responder aos seus detratores, texto redigido em 1673 e enviado nesta data a Spinoza tendo em vista a sua opinião3, porém somente publicado postumamente em 1684.
Publicado
2019-03-13
Como Citar
Spinoza, B. (2019). Epístola L. Epistle L. Trad. Diego Lanciote. Modernos & Contemporâneos - International Journal of Philosophy [issn 2595-1211], 2(4). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/modernoscontemporaneos/article/view/3493
Seção
Traduções