Resistências

  • Simone Sobral Sampaio

Resumo

O trabalho ou a tese que vai ser discutida nesse momento tem como objetivo analisar apenas uma e provocadora frase, dita pelo filósofo francês e não menos provocador, Michel Foucault, a frase investigada afirma peremptoriamente o seguinte: “a resistência é anterior ao poder”. Quão enfática é essa assertiva, o quanto ela carrega de efeitos e conseqüências para pensarmos a luta contra o poder e a constituição de novas formas de vida. O trabalho ora apresentado não tem como finalidade extrair uma teoria sobre a Resistência. Em Foucault, podemos adiantar, essa teoria inexiste. Porém, a partir de sua analítica, buscamos uma caixa de ferramentas que nos permitisse olhar diferentemente o conceito de Resistência. O estudo percorrido, do trabalho de Foucault, revelou-se um ato de garimpagem, ou seja, sem um único livro que reunisse em si o material necessário para entender essa questão, procuramos em materiais diversos como seus livros, artigos, além de breves entrevistas dadas por esse autor, as pistas para traçar o mapa, a cartografia, que nos permitisse compreender a Resistência, pelas mãos de um autor que nos diz tanto sobre o poder.

Publicado
2015-03-20
Como Citar
Sampaio, S. S. (2015). Resistências. Revista Aulas, 1(3). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/aulas/article/view/1937
Seção
Artigos