Foucault, a descontinuidade histórica e a crítica da origem

  • Jadson Fernando Garcia Gonçalves

Resumo

Este artigo objetiva apresentar uma leitura da crítica que Foucault constrói em relação à história tradicional e suas conseqüentes noções de origem e conhecimento. A partir de rastreamento de textos em que Foucault aborda esta questão, e seus desdobramentos, é possível inferir em suas análises históricas que a noção de descontinuidade tem menos a ver com a simples oposição à linearidade progressiva da história tradicional do que com a recusa ao primado do sujeito e à ideia de origem metafísica. É a esta recusa à idéia de origem, em seu sentido metafísico, de que há uma verdade única e primeira antes da história, que a noção de descontinuidade se justifica; é a esta figura do sujeito universal que ela se opõe; enfim, se opõe às pesquisas de “origem”.

Publicado
2015-03-19
Como Citar
Gonçalves, J. F. G. (2015). Foucault, a descontinuidade histórica e a crítica da origem. Revista Aulas, 1(3). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/aulas/article/view/1926
Seção
Artigos