Exilados e acadêmicos: a luta pela anistia nos Estados Unidos

  • James N. Green University of Brown

Resumo

Em 1964, houve um silêncio quase total nos Estados Unidos contra o apoio incondicional do governo do presidente Johnson (1963-68) ao golpe de estado do 1º de abril. Cinco anos depois, quando acadêmicos norte-americanos, clérigos e ex-missionários receberem notícias sobre a tortura de presos políticos, iniciaram, junto com alguns brasileiros exilados nos Estados Unidos, uma campanha ampla e descentralizada que denunciava a violação de direitos humanos no Brasil. As atividades destas pessoas ajudaram a isolar o regime militar no exterior. Os brasileiros radicados nos Estados Unidos também participaram ativamente na campanha para a anistia por meio da publicação do livro Memórias do Exílio, que documentava a realidade dos exilados. No final dos anos 1970, os exilados morando nos Estados Unidos organizaram outras atividades com a perspectiva de volta para o Brasil e de participação ativa no processo de democratização do país.
Publicado
2012-05-10
Como Citar
Green, J. N. (2012). Exilados e acadêmicos: a luta pela anistia nos Estados Unidos. Cadernos AEL, 17(29). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ael/article/view/2604