A Nação e a Juventude Comunista do Brasil

  • Dainis KAREPOVS Centro Sérgio Buarque de Holanda - Fundação Perseu Abramo

Resumo

A Revolução Russa (1917) e a fundação da Internacional Comunista (1919) impuseram uma nova pauta ao movimento político organizado dos trabalhadores em escala internacional. Entre eles estava a busca de sua centralização em caráter planetário, tanto organizativa como ideológica. No Brasil, com a frágil tradição organizativa e política do movimento dos trabalhadores, a criação do Partido Comunista do Brasil (PCB), em 1922, trouxe uma série de questões que traziam um acúmulo que existia há décadas na Europa, mas que por aqui eram praticamente desconhecidos. Entre estas questões estava a da organização política da juventude, que na Europa já possuía uma história que remontava aos anos de 1880. Embora prevista em seu Estatuto desde sua fundação, o PCB somente conseguirá conformar a sua organização de juventude em 1927. Para isso, terá um papel fundamental o diário comunista carioca A Nação, que foi publicado de janeiro a agosto de 1927, em um período de atuação semilegal dos comunistas brasileiros. Através de suas páginas, em um trabalho tateante, feito por jovens inexperientes e voluntariosos, se iniciará a conformação dessa organização. Neste trabalho de organização serão estabelecidos pontos de identidade dessa nova forma de organização dos jovens em terras brasileiras, que até então apenas os vira organizados sob a tutela da Igreja Católica.

Biografia do Autor

Dainis KAREPOVS, Centro Sérgio Buarque de Holanda - Fundação Perseu Abramo
IFCH-UNICAMP - Pós doutorado
Publicado
2012-05-10
Como Citar
KAREPOVS, D. (2012). A Nação e a Juventude Comunista do Brasil. Cadernos AEL, 17(29). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ael/article/view/2601