História do trabalho para além das fronteiras

  • Marcel van der Linden International Institute of Social History

Resumo

Este texto busca, em um primeiro momento, aprofundar o conceito de História do Trabalho, analisar as condições históricas de sua emergência e problematizar a articulação entre eurocentrismo e “nacionalismo metodológico”, responsável por uma historiografia teleológica, naturalizadora do Estado-nação e carregada de preconceitos em relação a países que estão fora do Atlântico Norte. Num segundo momento, o artigo examina os avanços e limites da “Nova História do Trabalho”, que emerge nos anos 1960, assim como os estudos mais recentes sobre os trabalhadores no chamado “Sul Global” (países da América Latina, África e Ásia). Em seguida, apresenta os esforços de historiadores do trabalho na construção de redes, organizações, congressos e pesquisas voltadas para a “História Global do Trabalho”, definida no texto em termos conceituais, temáticos, de periodização e novas abordagens, passando, principalmente, pela reconceitualização e ampliação da noção de classe trabalhadora.
Publicado
2012-05-09
Como Citar
Linden, M. van der. (2012). História do trabalho para além das fronteiras. Cadernos AEL, 17(29). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ael/article/view/2596