A luta pela igualdade: desejos, homossexualidade e a esquerda na América Latina

  • James N. Green University of Brown

Resumo

A esquerda latino-americana demorou em compreender e responder ao surgimento dos movimentos gay e lésbico. A esquerda ficou presa a valores religiosos antigos e a uma ideologia conservadora, que se desenvolveu depois da Revolução Russa de 1917, que caracterizou a homossexualidade como um produto do comportamento burguês decadente. Os processos revolucionários da América Latina, como em Cuba e Nicarágua, e as organizações marxistas em geral, marginalizaram os gays e as lésbicas. Na última década, ativistas fundaram grupos gays e lésbicos em todos os países do continente. Em alguns países, como o Brasil, tornaram-se movimentos sociais expressivos. O desafio da esquerda é de impulsionar as ações deste movimento e lutar pelos direitos plenos dos gays, lésbicas e transgêneros.
Publicado
2010-09-22
Como Citar
Green, J. N. (2010). A luta pela igualdade: desejos, homossexualidade e a esquerda na América Latina. Cadernos AEL, 10(18/19). Recuperado de https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ael/article/view/2508